O ano passado repetiu o cenário de anos anteriores, com poucas seguradoras se dedicando, de fato, ao trabalho para resolver o problema das pessoas ou seus beneficiários, que se acidentam no trânsito: receber a indenização, seja a de morte ou invalidez permanente, seja a de reembolso de despesas médico-hospitalares. Nesta situação, estiveram 320.569 brasileiros no ano passado, segundo dados da Seguradora Líder. Não mais que 33.798 deles tiveram seus casos solucionados em companhias de seguros de grande porte: apenas 10,5% do total. Este pequeno número até foi um avanço em relação a 2015, quando tão só 23.587 brasileiros (4,4% do total) receberam assistência de uma grande ou média corporação de seguros brasileira em todo o País.   Os dados mostram que, em 2016, de cada 100 cidadãos acidentados no trânsito, apenas um teve assistência de uma grande ou média seguradora, na sua busca pelo direito à indenização. Assim, os grandes grupos seguradores permaneceram Continue lendo [...]