Skip to content

RICARDO RIBAS

Jornalismo feito por jornalista

Archive

Archive for maio, 2017
Na Mirim, o grande campeão foi Gabriel Koeligkan - Foto: Gustavo Epifânio

Na Mirim, o grande campeão foi Gabriel Koeligkan – Foto: Gustavo Epifânio

 

No último final de semana (27) foram consagrados os Campeões Paulistas de Kart de 2017. Depois quatro baterias disputadas em dois dias no Kartódromo Ayrton Senna, na zona sul de São Paulo (SP), os títulos de dez categorias foram definidos. Os novos campeões foram os paulistas Gabriel Koeligkan (Mirim); Lucas Staico (Junior Menor); Pedro Lopes (Junior); Fábio Souza (Sênior B); Antonio Canedo (Super Sênior); Giuliano Forcolin (F-4) e Luciano Taue (F-4 Sênior); o brasiliense Matheus Ferreira (Cadete); e os cariocas João Corbellini (Sprinter) e André Nicastro (Graduados).

 

Entre os pilotinhos da Mirim Gabriel Koeligkan construiu o seu título com três vitórias e um segundo lugar, deixando para o vice-campeão Lucas Castro, que largou da pole position, e obteve uma vitória e três segundos. Na Cadete Matheus Ferreira começou garantindo a pole position e vencendo a prova de abertura e a final para ficar com o troféu de campeão. O vice Guilherme Vale venceu a terceira bateria, somou um segundo e um terceiro e foi décimo na última corrida. A segunda bateria foi vencida por Felipe Falk.

 

Na Jr Menor, Lucas Staico se garantiu vencendo a última bateria - Foto: Gustavo Epifânio

Na Jr Menor, Lucas Staico se garantiu vencendo a última bateria – Foto: Gustavo Epifânio

 

Na Junior Menor Gabriel Gomez foi o pole position, mas o título ficou com Lucas Staico, ajudado pela vitória na última bateria com pontuação dobrada, além de um segundo, um terceiro e um sétimo lugares. Já o vice Guilherme Figueiredo venceu as três baterias iniciais, mas na decisiva ficou com o sétimo posto.

 

O título de campeão da Junior foi decidido por 14 milésimos de segundo. Isto porque Pedro Lopes e Francisco Porto terminaram com a mesma pontuação, e o critério de desempate foi a pole position, que Lopes estabeleceu por esta mínima margem. Porto venceu duas baterias, ficou em sétimo noutra e foi segundo na final. Já Pedro Lopes garantiu o bicampeonato paulista com dois segundos, um sétimo e a vitória na bateria decisiva.

 

João Corbellini largou da pole e venceu as quatro baterias da Sprinter - Foto: Luiz Pinheiro

João Corbellini largou da pole e venceu as quatro baterias da Sprinter – Foto: Luiz Pinheiro

 

Na Sprinter João Corbellini foi dominador, largando da pole e vencendo as quatro baterias. O vice da Novatos foi Enzo Fuzzaro, quarto em uma bateria e segundo nas outras três. Outro que dominou tudo foi Giuliano Forcolin, também pode position e vencedor de todas as quatro provas da F-4. O seu vice foi Luciano Taue, campeão entre os Seniores da categoria, terceiro em todas as corridas.

 

O brasiliense Matheus Ferreira foi Campeão Paulista na Cadete - Foto: Gustavo Epifânio

O brasiliense Matheus Ferreira foi Campeão Paulista na Cadete – Foto: Gustavo Epifânio

 

Disputadas em grid único, Fábio Souza foi campeão da Sênior B e Antonio Canedo na Super Sênior. Fábio largou da pole e venceu todas as baterias. Já Canedo venceu três e foi segundo em uma. Júlio Pires, que largou da pole foi o vencedor da outra bateria e segundo nas demais.

 

André Nicastro conquistou o seu nono título de campeão paulista, ao largar da posição de honra, vencer três baterias e só administrar a última, quando recebeu a bandeirada em segundo. Atual campeão paulista, Murilo Coletta agora ficou com o vice, com dois quintos, um segundo e a vitória no encerramento da programação.

Gustavo Ariel largou da pole e venceu de Super Kart na Elite - Foto: Emerson Santos

Gustavo Ariel largou da pole e venceu de Super Kart na Elite – Foto: Emerson Santos

 

As disputas no Campeonato ClickSpeed de Kart Amador (CCSKA) estão esquentando a cada etapa. A novidade desta vez foi a realização da quinta etapa no Kartódromo Aldeia da Serra, em Barueri (SP), no último domingo (28), sendo que a categoria Elite utilizou o Super Kart, mais rápido do que o tradicional kart de 13 hp.

 

O grande nome da rodada foi Gabriel Ariel, que além de vencer na categoria mais rápida, ainda faturou a Graduados como convidado. O vencedor de direito foi novamente Daniel Robles, enquanto Thiago Kelpmair foi o vencedor na Light.

 

Thiago Keplmair foi o vencedor e lidera a CCSKA Light - Foto: Emerson Santos

Thiago Keplmair foi o vencedor e lidera a CCSKA Light – Foto: Emerson Santos

 

Na prova da categoria Elite Gustavo Ariel começou dominando na tomada de tempos, conquistando a pole position com a grande vantagem de 0s625 sobre Elisson Gandolfo, que dividiu com ele a primeira fila. O líder Alberto Cesar Otazú ficou em terceiro no grid, sendo que do segundo ao sexto os pilotos estavam separados por apenas um décimo de segundo, o que fazia prever uma prova sensacional.

 

O que se viu, no entanto, foi Ariel disparar para a sua primeira vitória, e mesmo Otazú assumindo a vice-liderança da competição e estabelecendo a volta mais rápida, recebeu a bandeirada em segundo, a 2s263. Resultado suficiente para ampliar a sua liderança no campeonato, agora seguido de Gustavo Ariel, o quarto vencedor diferente na temporada.

 

Largada da categoria Elite com Super Kart - Foto: Emerson Santos

Largada da categoria Elite com Super Kart – Foto: Emerson Santos

 

Com o grid unificado das categorias Graduados e Light, Gustavo Ariel largou da pole position e não teve vida fácil. Brigou o tempo todo com Daniel Robles e venceu por apenas 99 milésimos de segundo ao ultrapassar o líder da Graduados na última curva. Entre os representantes da Light, Thiago Kelpmair terminou em 13º, mas foi o vencedor de sua categoria, aumentando também a sua vantagem na liderança.

 

Alberto Cesar Otazú ampliou a liderança no CCSKA com o segundo lugar -Foto: Emerson Santos

Alberto Cesar Otazú ampliou a liderança no CCSKA com o segundo lugar -Foto: Emerson Santos

 

A quinta etapa do Campeonato ClickSpeed de Kart Amador será já no dia 4 de junho, no Kartódromo Granja Viana, em Cotia (SP).

 

Resultado da 4ª etapa da Elite:

1) Gustavo Ariel, 21 voltas em 21min01s017

2) Alberto Cesar Otazú, a 2s263

3) Elisson Gandolfo, a 14s097

4) Bruno Varella, a 14s640

5) Bruno Galli, a 14s873

6) Guilherme Antiório, a 16s356

7) Everton Carajeleascow, a 18s095

8) Diego Mesa, a 26s110

9) Kleberson Felix, a 34s158

10) Paulo Alemão Rogério Cardoso, a 34s423

 

Depois de quatro etapas, os dez primeiros da Elite são:

1) Alberto Cesar Otazú, 153 pontos

2) Gustavo Ariel, 137

3) Marcel Souza, 137

4) Everton Carajeleascow, 133

5) Diego Mesa, 114

6) Bruno Galli, 113

7) Elisson Gandolfo, 112

8) Guilherme Antiório, 93

9) Bruno Varella, 82

10) Deivid Fonseca, 81 pontos

 

Resultado da 4ª etapa da Graduados/Light:

1) Gustavo Ariel, 17 voltas em 20min10s263

2) Daniel Robles, a 0s099

3) Everton Borges, a 2s440

4) Ryan Nishioka, a 9s625

5) Everson Nishioka, a 12s070

6) Elisson Gandolfo, a 17s372

7) Diego Robles, a 20s699

8) Estevão Luiz Vicakas, a 21s013

9) Bruno Galli, a 21s252

10) Kleberson Felix, a 22s863

 

Depois de quatro etapas, os dez primeiros da Graduados são:

1) Daniel Robles, 169 pontos

2) Kleberson Felix, 142

3) Estevão Vicakas, 135

4) Fernando Anadão, 102

5) Airton Dornelas, 92

6) Bruno Mendonça, 70

7) Vagner Matioli, 61

8) Jurandir Jr, 55

9) Jonathan Magalhães, 47

10) Miriam Schivel, 47 pontos

 

Depois de quatro etapas, os dez primeiros da Light são:

1) Thiago Kelpmair, 88 pontos

2) Sidney Sky, 85

3) Alex Andriguetto, 83

4) Yvis Rodrigues, 80

5) Marcos Nogueira, 78

6) Rafael Hokama, 64

7) Gabriela Machado, 51

8) Augusto Cesar, 41

9) Nivaldo ferro, 38

10) Cleiton Santos, 28 pontos

Fonte: Organização

Divulgação

Divulgação

 

A MAN Latin America e o BMB, seu centro de modificações exclusivo, vão exportar o modelo brasileiro de parceria e produção para dar início às customizações de veículos Volkswagen Caminhões e Ônibus no México. Com investimento inicial de US$ 500 mil até 2018, o BMB começa sua operação no país com clientes garantidos. A inauguração vai ao encontro da estratégia de crescimento internacional da MAN Latin America.

 

“O México é nosso segundo maior mercado de exportação, com grande potencial de evolução, com a oferta de um portfólio cada vez mais completo. A chave de nosso sucesso reside no conceito sob medida, modelo de negócio baseado na estreita parceria com o cliente. Nesse sentido, a fábrica de customização vai nos abrir oportunidades importantes”, argumenta Roberto Cortes, presidente e CEO da MAN Latin America.

 

Localizada a poucos metros da unidade produtiva da MAN Latin America no México, na cidade de Querétaro, o BMB terá cerca de 1.500 metros quadrados de área total e 20 colaboradores para o início de suas atividades até acelerar a demanda do mercado. “A expectativa é atendermos em torno de 30% de todo o volume de veículos da marca vendidos no país. Para isso, teremos um grande portfólio de customizações e também contamos com uma parceria estratégica com a Suspensys, empresa do grupo Randon e uma das maiores produtoras de suspensões do mundo para nos dar suporte tecnológico diante das necessidades do mercado mexicano”, explica Sérgio Secco, diretor do BMB no México.

 

Divulgação

Divulgação

 

Um de seus grandes focos está na suspensão pneumática — uma demanda forte no país — para agregar essa configuração em qualquer produto do portfólio mexicano. A transformação para cavalo-mecânico também é outra expertise que será oferecida aos clientes. Essas duas modificações caracterizam, inclusive, o primeiro atendimento já realizado em um suporte para a montadora na negociação com a Heineken em recente venda de 150 caminhões.

 

“O BMB vai incorporar no mercado interacional praticamente todos os serviços em que acumula experiência e nosso objetivo é desenvolver soluções específicas para as operações mexicanas. Inauguramos nossas atividades no México com uma estrutura proporcional a que adotamos em nosso início no Brasil. Hoje já crescemos de forma significativa na operação brasileira e os planos são semelhantes para o México”, acrescenta Marcos Balbinot, diretor do BMB no Brasil.

 

Garantia de fábrica – Todo o know-how em customização adquiridos pelo BMB ao longo dos últimos 15 anos e mais de 130 mil veículos modificados no Brasil, com a chancela da MAN Latin America, estará agora disponível também no México. “A instalação do BMB, com a possibilidade de uma customização com garantia de fábrica, vai beneficiar, sobretudo, os clientes principalmente com relação à agilidade da entrega e disponibilidade dos veículos, além de uma maior oferta nem nosso portfólio”, explica Leonardo Soloaga, diretor geral da operação da MAN Latin America no México.

Honda CB 250 Twister, a vencedora - Reprodução

Honda CB 250 Twister, a vencedora – Reprodução

Com apenas 8,1% de depreciação em um ano, a Honda CB Twister 250 foi a moto melhor avaliada na 2ª edição do Selo Maior Valor de Revenda – Motos, da Agência AutoInforme, em parceria com a Textofinal de Comunicação. A montadora japonesa também venceu nas categorias Motoneta com a BIZ 110i, Naked até 800 cc (CB 650 F), Scooter até 200 cc (PCX 150), Scooter acima de 200 cc (SH 300 i), Trail (NXR 160 BROS) e na categoria Street com a própria CB Twister 250.

 

Outras nove motocicletas foram contempladas pelo Selo Maior Valor de Revenda – Motos 2016, respectivamente em suas categorias: Dafra ZIG (50 cc), Triumph Tiger 800 (Big Trail até 800 cc) BMW R1200 GS (Big Trail acima 800 cc), Ducati Scrambler Icon 803 (Clássica), Yamaha MT-09 Tracer 850 (Crossover), Suzuki Intruder 125 (Custom até 800 cc), Harley-Davidson Softail Heritage Classic (Custom acima de 800 cc), Yamaha MT-09 850 (Naked acima 800 cc), Yamaha YZF-R· (Sport até 800 cc), BMW S 1000 RR (Sport acima 800 cc) e Harley-Davidson CVO Street Glide (Touring).

 

A pesquisa, parceria da Agência Autoinforme com a Molicar, considerou 138 motos zero km mais vendidas, de 17 marcas, com base nas cotações de preços praticados no mercado, em março de 2016 ante igual período deste ano.

 

Segundo Joel Leite, idealizador do SMVR-Motos e diretor da Agência AutoInforme, “esta versão de motocicletas faz parte do tripé do Selo Maior Valor de Revenda – Autos, em sua 4ª edição, e o de Veículos Comerciais, em sua 3ª edição. No Brasil, a moto proporcionou o verdadeiro direito de ir e vir para grande parte da população. Em 2000, pouco mais de 3,5 milhões de brasileiros utilizaram a moto para o seu transporte. Hoje são mais de 20 milhões. Daí a importância deste selo que procura incentivar a indústria e os importadores a oferecerem melhores produtos e melhores serviços de pós-vendas, de modo que o consumidor possa obter o máximo de seu investimento”.

 

Com apoios institucionais da ABAC, Abeifa, AEA, Fenabrave, Fenauto e Sindipeças, e patrocínio máster da Philips Automotive, o Selo Maior Valor de Revenda – Motos retrata, constata, baliza, os preços praticados no mercado brasileiros, sem subjetividades. “Com isso, reconhece o trabalho das montadoras e das importadoras no processo de aperfeiçoamento de seus produtos e serviços e, na outra ponta, auxilia o consumidor na hora da compra”, argumenta Joel Leite.

 

Honda lidera – Dona de quase 80% do mercado brasileiro de motocicletas, a Honda foi a grande vencedora da 2ª edição do Selo Maior Valor de Revenda – Motos 2017, ao faturar em seis categorias, além de levar o título de Campeã Geral. Segundo Alexandre Cury, diretor de vendas da montadoras/importadora, “este reconhecimento é consequência da confiança e satisfação dos clientes com a marca. É um trabalho que vai além da qualidade dos nossos produtos. É a sinergia de uma ampla rede, hoje com mais de 1.100 pontos de atendimento autorizados apoiadas por um inovador beneficio de 3 anos de garantia em todo line-up, diferenciais que fazem com que os seminovos da marca sejam ainda mais reconhecidos pelo mercado”.

Sem pressão de Hamilton, Vettel abre 25 pontos de vantagem no campeonato - Sutton Images

Sem pressão de Hamilton, Vettel abre 25 pontos de vantagem no campeonato – Sutton Images

 

Mais uma corrida decidida nas paradas para troca de pneus. Foi assim que Sebastian Vettel, da Ferrari, venceu o Grande Prêmio de Mônaco, disputado domingo (28). É bem verdade que a equipe privilegiou a estratégia de parada para troca de pneus e nem precisou mandar mensagem para Kimi Räikkönen, que terminou a etapa em segundo, para abrir passagem para o líder do certame. O top 3 teve Daniel Ricciardo, da Red Bull. A Ferrari comemorou a dobradinha, que não acontecia desde 2010, quando Felipe Massa, então companheiro de Fenando Alonso, recebeu a ridícula mensagem do time Fernando is so faster than you (Fernando é mais rápido que você, em português, e teve de ceder a posição.

 

A corrida que começou pouca emoção até a abertura da janela para troca de pneus, mas ganhou contorno de competição a partir do grave incidente na 60ª volta, envolvendo a McLaren Jenson Button e a Sauber do alemão Pascal Wehrlein, que foi catapultada contra o muro de proteção, onde ficou em ângulo de 90º em relação ao asfalto (veja vídeo abaixo – Crédito: revolbrand). Os pilotos nada sofreram. Ainda bem. Por causa disso, o carro de segurança foi acionado, ficou cinco voltas na pista e provocou a redução das diferenças de tempo entre os carros.

 

[video]https://www.youtube.com/watch?v=AQjlOsv73yo[/video]

 

 

Perez colide com Danyil, quase é ultrapassado por Massa, e bate recorde - Reprodução/Twitter

Perez colide com Danyil, quase é ultrapassado por Massa, é punido, mas bate recorde – Reprodução/Twitter

 

Com pista liberada, Vettel desceu a sapatilha e conseguiu manter a ponta da corrida, tendo Räikkönen no seu encalço, mas sem muita pressão. Mais atrás, Valtteri Bottas, encaixotado entre duas Red Bull, com Daniel Ricciardo, terceiro, e Max Verstappen, que até tentou dar o pulo do gato sobre o finlandês, mas não conseguiu. Quem podia ter feito apresentação de gala era Lewis Hamilton, segundo colocado na tabela de pontos, isto é, se sua Mercedes correspondesse. Largando da 13ª posição, o inglês fez o que pode com um carro longe de ser imbatível nas últimas temporadas. Terminar em sétimo, atrás de Carlos Sainz, da Toro Rosso, pode ser considerado um bom resultado, pois está a 25 pontos do líder Vettel.

 

Na relargada, Bottas ficou entre Ricciardo e Verstappen - Reprodução/Twitter

Na relargada, Bottas ficou entre Ricciardo e Verstappen – Reprodução/Twitter

 

Completou o Top 10 Romain Grosjean, da Haas, Felipe Massa, da Williams, e Kevin Magnussen, da Haas, respectivamente. A Williams apesar dos caminhões de dinheiro que o pai de Lance Stroll descarrega na equipe do companheiro de Massa ela parece não avançar. O brasileiro foi cerebral. Sabia que não podia fazer muita coisa, então esperou, corretamente, quem ia a sua frente quebrar, bater ou abandonar para somar uns pontos, enquanto seu atabalhoado colega de Williams não estampou o muro e terminou a prova na 14ª posição.

 

A Fórmula volta a se reunir dia 11 de junho para a disputa do GP do Canadá.

 

A expressão de Räikkönen no pódio deixa clara sua indignação - Sutton Images

A expressão de Räikkönen no pódio deixa clara sua indignação – Sutton Images

 

 

Veja abaixo o resultado do GP de Mônaco:

 

(Crédito: formula1.com)

(Crédito: formula1.com)

 

Veja abaixo a tabela de pontos do Mundial de Pilotos:

 

(Crédito: formula1.com)

(Crédito: formula1.com)

 

Veja abaixo a tabela de pontos do Mundial de Construtores:

 

(Crédito: formula1.com)

(Crédito: formula1.com)

Flávio Pires - Divulgação

Flávio Pires – Divulgação

Flávio Pires é o novo diretor-geral da ABAG (Associação Brasileira de Aviação Geral), entidade que reúne as principais empresas do segmento de aviação geral no país, desde fabricantes de aeronaves, fornecedores de peças, táxi aéreo e escolas de formação de pilotos. O Brasil é dono da segunda maior frota do mundo de aviação geral, com pouco mais de 15 mil aeronaves, ficando atrás apenas dos Estados Unidos. A ABAG organiza todos os anos (desde 2004) a Labace, a maior feira de aviação executiva da América Latina que, este ano, acontece em agosto, no Aeroporto de Congonhas, em São Paulo.

 

Formado em Engenharia Mecânica-Aeronáutica (UFMG) e com pós-graduação em Administração e Finanças (FGV-SP), Flávio acumula mais de 30 anos de experiência, tendo atuado em algumas das principais empresas da indústria da aviação no país, como Avibrás Aerospacial, Helibrás, Líder, entre outras. Flavio substitui Ricardo Nogueira, que deixa a entidade.

 

“A ABAG representa hoje um segmento da indústria aeronáutica que é estratégico para o Brasil, não apenas do ponto de vista do desenvolvimento econômico, porque conecta as cidades que não são servidas pela aviação comercial, mas porque engloba também serviços essenciais para a população”, afirma o novo diretor-executivo. Pires se refere ao transporte aeromédico, transporte de órgãos, policiamento aéreo, defesa civil, combate a incêndios, monitoramento de trânsito e calamidades, coberturas televisivas e de rádio, patrulhamento ambiental, pulverização agrícola, entre muitas outras atividades, que fazem parte da aviação geral.

 

Antes da crise econômica iniciada em 2014, o Brasil vinha registrando um crescimento muito expressivo, bem maior do que o registrado em outros países do mundo em relação à frota de aviação geral. “Chegamos em 2012 a registrar um crescimento de 6,7% na frota de aeronaves da aviação geral. Em 2015, foi 1,2%. Com a crise econômica, acreditamos que a frota tenha reduzido um pouco em 2016, embora ainda não tenhamos os dados compilados. Para os próximos anos, certamente voltaremos a crescer assim que a economia do país se recuperar”, explicou. Mais informações em www.abag.org.br

A NSK Brasil recebeu mais uma vez o prêmio de Excelência em Qualidade e Entrega da Honda Automóveis, na convenção anual de fornecedores da fabricante, ocorrida em abril, no Expo Dom Pedro, em Campinas. Essa é a segunda vez consecutiva que a multinacional japonesa recebe o prêmio pela qualidade na entrega de seus produtos.

 

No total, a Honda premiou 33 fornecedores pelo desempenho de 2016 nas avaliações de qualidade, entrega, custos, desenvolvimento de novos modelos e peças e preservação do meio ambiente. Na categoria de qualidade e entrega, a NSK ficou entre os dez melhores fornecedores.

 

A NSK é uma das líderes mundiais na fabricação de rolamentos. Presente no Brasil desde a década de 1970, a fábrica NSK do Brasil produz rolamentos fixos de uma carreira de esferas e rolamentos automotivos. Para atender a todas as exigências de qualidade dos mercados industrial e automotivo, a NSK Brasil detém as certificações ISO 9001, ISO/TS 16949 e ISO 14001.

 

Globalmente, a empresa tem 65 fábricas em 13 países, 14 Centros Tecnológicos em 9 países e 123 escritórios de vendas em 29 países. Para mais informações, visite o site da empresa.

Líder do certame, Otazú tem sede de vitória - Foto: Sandro de Souza

Líder do certame, Otazú tem sede de vitória – Foto: Sandro de Souza

 

Mesmo com duas vitórias em três participações, Alberto Cesar Otazú não se sente tranquilo na liderança da Taça Amika Ayrton Senna, que terá a sua quinta etapa hoje (25), no Kartódromo Ayrton Senna, em Interlagos (SP). Por isso, o seu objetivo vai além de simplesmente manter a ponta do certame, que sustenta com 90 pontos, três de vantagem sobre Cayto Grotkowsky e oito para Rodrigo Borotto.

 

“Eu não participei da primeira etapa, e isto poderá fazer falta, pois este campeonato é muito competitivo. Preciso vencer mais para ampliar a vantagem e ter uma maior segurança para a segunda metade do campeonato”, planeja o piloto.

 

A abertura do certame foi vencida por Cayto Grotkowsky. A segunda e terceira etapas foram realizadas no mesmo dia, com Alberto Otazú vencendo a primeira prova, e André Mansano levando a segunda corrida, que teve grid invertido. E na última competição realizada Alberto Cesar voltou a vencer, o que o colocou na liderança do campeonato com um dos descartes obrigatórios.

 

“Estou muito focado para esta competição. Se tiver a vantagem de ser sorteado com um kart competitivo, já quero começar lutando pela pole position. Depois quero brigar pela vitória e volta mais rápida, que também concede ponto de bonificação. Se não for possível vencer, tenho que garantir pontuação alta subindo no pódio novamente”, completou o líder, que só em 2017 já subiu 22 vezes no pódio.

 

Confira a classificação dos dez primeiros (com um descarte) da Taça Ayrton Senna após quatro etapas:

1) Alberto Cesar Otazú, 90

2) Cayto Grotkowsky, 87

3) Rodrigo Borotto, 82

4) Akira Eguti, 81

5) Alfredo Salvaia, 79

6) Eric Baraveli, 73

7) Peter Jankowski, 70

8) André Mansano, 69

9) Guilherme Lima, 68

10) Fernando Nassif, 63

Fonte: Organização