Skip to content

RICARDO RIBAS

Jornalismo feito por jornalista

Archive

Archive for janeiro, 2017
Chef Henrique Fogaça é o novo Embaixador da Triumph no Brasil

Chef Henrique Fogaça é o novo Embaixador da Triumph no Brasil – Divulgação

 

O chef Henrique Fogaça, proprietário do restaurante Sal Gastronomia e dos bares Cão Véio e Admiral’s Place e um dos jurados do programa Master Chef, da Band, é o novo Embaixador da Triumph no Brasil. A parceria entre a marca inglesa e o chef começou a ser desenhada no ano passado, quando Fogaça foi convidado para participar de um evento exclusivo em Londres, na Inglaterra, para apresentação mundial da nova Bonneville Bobber – um novo ícone da marca que em breve também será lançada no mercado nacional.

 

“A identificação dele com a marca foi imediata. Além da já conhecida paixão de Fogaça pelo motociclismo, o chef também se encantou com a história da Triumph, sua proposta despojada e, principalmente, pela qualidade dos nossos produtos”, afirma Gislaine Matano, gerente de Marketing e Comunicação da Triumph Motorcycles Brazil. “Para a Triumph, que completará cinco anos de atuação no Brasil em novembro, é também muito importante a parceria com uma celebridade com o carisma e o profissionalismo de Fogaça. Seu perfil desbravador, empreendedor e inovador carrega muito dos valores da Triumph”, acrescenta a executiva. Esta é apenas uma das diversas ações de marketing que serão desenvolvidas ao longo de 2017 para celebrar o aniversário de cinco anos da Triumph no mercado brasileiro.

 

Chef pilotará, além do fogão, a recém-lançada Bonneville T120 Black - Divulgação

Chef pilotará, além do fogão, a recém-lançada Bonneville T120 Black – Divulgação

 

“É uma honra representar uma marca com tanta tradição e personalidade como a Triumph. Realmente estive presente no lançamento mundial da Bobber e me identifiquei muito com o estilo e a proposta da marca”, afirma Henrique Fogaça. Como Embaixador da Triumph no Brasil, Henrique Fogaça vai pilotar no seu dia a dia, inicialmente, uma novíssima Bonneville T120 Black, lançada no mês passado no País.

 

O modelo, que é montado em Manaus (AM) e pertence à linha de motocicletas clássicas da marca, tem visual retrô dos anos 60 e muita personalidade com diversos elementos em preto, como hastes de espelhos, protetor de corrente, escapamentos, rodas e cobertura do motor. A moto é equipada com o novo motor Bonneville de 1.200 cc, de alto torque, que lhe garante desempenho excepcional.

 

A Bonneville T120 Black criou um novo padrão de qualidade, estilo e desempenho no segmento das motos clássicas modernas, com uma fartura de tecnologias focadas no piloto, para proporcionar controle avançado da moto, maior segurança e também para melhorar a confiança do piloto durante a condução. O modelo vem de fábrica com recursos como freios ABS, controle de tração, embreagem deslizante assistida, luz traseira com LED, manoplas com aquecimento, imobilizador do motor e dois modos de pilotagem.

 

Além de pilotar uma Triumph, Fogaça também vai utilizar uma série de produtos que compõem a linha de roupas e acessórios pessoais da Triumph, incluindo itens como camisetas, calças, jaquetas, botas e cintos, entre outros. O Embaixador da Triumph no Brasil ainda estará presente em alguns dos eventos mais importantes da fabricante no ano aqui no Brasil, como o lançamento dos novos modelos clássicos (Bonneville Bobber, Bonneville Scrambler e Boneville Street Cup).

 

Chef Fogaça no comando da cozinha - Divulgação

Chef Fogaça no comando da cozinha – Divulgação

Fogaça – O chef Henrique Fogaça, nascido em Piracicaba (SP), possui hoje dois bares e um restaurante, todos na região central da cidade de São Paulo. Fundado em 2005, o Sal Gastronomia foi o pioneiro. O Cão Véio foi inaugurado em 2012 e o Admiral’s Place em 2013. Fogaça também é um dos jurados do programa Master Chef, da Band, e participou, no ano passado, do reality show 200 Graus, no canal Discovery Home & Health, que contou um pouco sobre sua rotina de vida. Fogaça também participa dos projetos sociais Gastromotiva e Chefs Especiais, além de ter sido pioneiro com a feira gastronômica O Mercado, mostrando que é possível usar a alta gastronomia como meio de transformação social. Ele também é vocalista da banda Oitão.

Jeep Renegade - Divulgação

Jeep Renegade – Divulgação

 

Com importação direta do fabricante, uma das unidades fabris da TMD Friction, localizada em Essen, na Alemanha, atende ao fornecimento das pastilhas dos freios traseiros do Jeep Renegade – versões com motorização 1.8 Flex e Multijet 2.0 Turbo Diesel.

 

Este fornecimento marca o início da parceria TMD com a marca recentemente instalada no País, em Goiana, estado de Pernambuco. Importante destacar que, atualmente, a TMD Friction do Brasil é fornecedora original de pastilhas de freio para todos os veículos e plataformas produzidas pela Fiat em Betim, Minas Gerais.

 

Ressalte-se que produtos OE (originais) da TMD Friction são também utilizados em várias outras linhas de montagem de importantes montadoras ao redor do mundo, como Mercedes-Benz, Porsche, Audi, Bugatti, Fiat, Chrysler, Opel, Huyndai, Kia, Lamborghini, Land Rover, Lexus, Toyota, Volkswagen, General Motors, Ford, Peugeot, Renault, Nissan, Mitsubishi, Citroën, Skoda, Seat, Saab e outros.

O maior número de ocorrências de quebra da junta homocinética está relacionado há problemas de outros componentes do sistema de transmissão ou suspensão - Divulgação

Quebra da junta homocinética está relacionado há problemas  do sistema de transmissão ou suspensão – Divulgação

 

O maior número de ocorrências de quebra da junta homocinética não está relacionado há problemas com o componente em si. As ocorrências na maioria das vezes estão relacionadas a outros componentes do sistema de transmissão ou suspensão, conforme avaliação da Nakata.

 

A junta deslizante fica no lado do câmbio e devido a sua aparência também é chamada de bolachão pelo mercado de reposição. As características construtivas dessas juntas permitem que o semieixo homocinético sofra variações no seu comprimento (daí o nome deslizante) para poder acompanhar e compensar os movimentos da suspensão do veículo.

 

As principais causas de quebra do componente são:

 

- Carro rebaixado altera o ângulo do semieixo e provoca a quebra da homocinética deslizante, aplicada no lado câmbio.

 

- Coxim do motor e/ou câmbio quebrado causa desalinhamento do conjunto e posterior quebra da junta.

 

- Longarina empenada ou quebrada assim como os coxins, provoca desalinhamento do conjunto e posterior quebra da junta.

 

- Cambagem fora de medida.

 

- Na junta fixa (lado da roda) a maioria das quebras estão relacionadas ao excesso de torque aplicado na porca de fixação do cubo ou quando o veículo esterça mais para um dos lados, descentralização.

 

“Quando a quebra da junta ocorre por interferência nos seus ângulos operacionais às cargas de trabalho deixam marcas nos anéis interno e externo. Essas marcas facilitam a interpretação da causa da falha. A regra básica é não deixar de fazer uma inspeção detalhada nos demais componentes da suspensão e nos coxins de motor e câmbio antes de substituir as juntas homocinéticas. Após a conclusão do reparo é necessário fazer o alinhamento do veículo”, orienta Jair Silva, gerente de qualidade e serviços da Nakata.

 

Para evitar uma segunda troca desnecessária, ao substituir uma junta quebrada, faça uma verificação completa do sistema de suspensão e transmissão. Não deixe de consultar as causas relacionadas substituindo as peças com problema.

 

Esta e outras dicas de manutenção da série Dicas de Especialistas estão disponíveis no canal da Nakata no YouTube ou no site da Nakata. Mais informações sobre produtos e aplicações, acesse o site www.nakata.com.br ou a central de atendimento pelo 0800-707-8022

Após o recorde de vendas de cotas para automóveis em 2015, o Consórcio Honda superou a estimativa prevista para 2016 e encerrou o ano com crescimento de 42%. Em relação às entregas de veículos 0 Km, o modelo HR-V foi o destaque da modalidade, com 51% do volume total no período, seguido do FIT, com 19%. A empresa integrante da Honda Serviços Financeiros planeja o aumento da comercialização de cotas para carros em aproximadamente 30% neste ano.

 

O crescimento da participação dos clientes de automóveis na modalidade reflete a boa aceitação dos produtos Honda e a mudança de comportamento do consumidor estimulada pelo cenário econômico atual. “O consórcio aparece como uma alternativa segura em meio à instabilidade financeira, pois oferece a vantagem de comprometer o cliente apenas com parcelas mensais que cabem no seu orçamento, além da ausência de juros mais altos, comuns no financiamento”, explica Ricardo Tomoyose, presidente da Honda Serviços Financeiros.

 

Reconhecida como a maior administradora de consórcios do País devido à sua atuação no mercado de motocicletas, o Consórcio Honda reformulou seu modelo de negócio junto à rede de concessionárias de automóveis e segue investindo em campanhas e plataformas de vendas para alavancar os resultados. “Para quatro rodas, vislumbramos o aumento do número de clientes interessados em planejar a troca do veículo atual por meio de cotas de consórcio”, completa o executivo.

 

Presente no mercado há mais de 35 anos, o Consórcio Honda conta com mais de 1,8 milhão de clientes de carros e motocicletas ativos em sua carteira. Além da vantagem do parcelamento da cota em até 80 meses, outro atrativo da modalidade são os planos que se adaptam ao orçamento do cliente, que pode indicar a melhor data para pagamento de sua parcela e participar desde a primeira assembleia por sorteio e lance.

Projeto levará alento às comunidades carentes - Divulgação

Projeto levará alento às comunidades carentes – Divulgação

 

A Triumph inicia, neste ano, um amplo trabalho social em parceria com o S.A.S. Brasil (Saúde e Alegria nos Sertões), um projeto que leva saúde, cultura e sustentabilidade para comunidades carentes. O objetivo da fabricante inglesa é oferecer aos seus clientes a oportunidade de vivenciar experiências motociclísticas inéditas em cenários incríveis pelo interior do Brasil e, ao mesmo tempo, participar de ações sociais que poderão beneficiar diretamente a vida de muitas pessoas.

 

Para esta ação, o Triumph Riding Experience (TRX) trabalha em conjunto com o S.A.S. Brasil num modelo que vai além da simples arrecadação e entrega de roupas e alimentos aos moradores das regiões visitadas. A ideia é unir ação social com experiência de vida sobre uma motocicleta, conhecendo lugares deslumbrantes no País. Assim, durante os passeios, os participantes terão também funções sociais durante todos os dias, incluindo, por exemplo, atividades com crianças carentes da região, como recreação com pintura, skyline, brincadeiras em pula-pula e piscina de bolinha e oficina de teatro, além de auxiliar na instalação de filtros para potabilizar água, entre outras ações em prol da comunidade.

 

TRX trabalha em conjunto com o SAS Brasil - Divulgação

TRX trabalha em conjunto com o SAS Brasil – Divulgação

O S.A.S. Brasil foi um projeto criado para acompanhar o Rally dos Sertões, levando médicos, educadores, engenheiros, profissionais de sustentabilidade e atividade física para as comunidades carentes por onde o rally passava, desenvolvendo o conceito de turismo-voluntário, segundo o qual o voluntário viaja e, ao mesmo tempo, faz o bem. Com o passar dos anos, o projeto cresceu, virou ONG e tornou-se o projeto social oficial do rally. Mais voluntários aderiram às expedições, com mais carros e um caminhão contêiner com consultórios médicos e um cinema itinerante que passou a acompanhar a expedição.

 

No ano passado foi criado o S.A.S. Experience, em conjunto com a Triumph. Foi uma viagem guiada, com clientes pilotando motos da marca inglesa e tendo a chance de viver dias de ação voluntária e ainda rodar pelo Brasil com toda a estrutura logística e profissionalismo do Triumph Riding Experience, que organizada cursos de pilotagem, viagens e eventos para a fabricante.

 

Durante os passeios, os participantes terão também funções sociais junto as populações carentes - Divulgação

Passeios terão funções sociais – Divulgação

Com o sucesso desta iniciativa, a Triumph definiu que vai realizar pelo menos quatro eventos com este formato em 2017. Duas viagens longas já estão confirmadas: uma pelos estados de Pernambuco, Ceará e Alagoas e outra pelo mesmo percurso desenvolvido pelo Rally dos Sertões, nos estados da Bahia, Tocantins e Goiás. Além disso, mais duas expedições menores serão promovidas para atender a população de quilombos instalados no Parque Estadual Turístico do Alto Ribeira (Petar), no sul do Estado de São Paulo, e também comunidades de pescadores que vivem na belíssima Praia dos Castelhanos, em Ilhabela, no Litoral Norte de São Paulo. A primeira viagem acontecerá entre os dias 18 e 27 de fevereiro e foi batizada de Velho Chico Experience.

 

O grupo seguirá paralelamente ao Rio São Francisco, da nascente até a foz, no estado de Alagoas. Para esse passeio, o cliente-voluntário poderá utilizar uma moto de qualquer marca ou, se preferir, locar uma Tiger 800 ou Tiger Explorer 1200 da Triumph para percorrer com conforto e segurança quase 4.500 quilômetros de cenários de tirar o fôlego.

Novos pacotes têm preços convidativos - Divulgação

Novos pacotes têm preços convidativos – Divulgação

 

Depois de remodelar seu sistema de uso em outubro para plataformas mobile Android e iOS, a Zazcar, pioneira no sistema de carsharing na América Latina, agora lança novas modalidades de uso no seu aplicativo. Além de oferecer aos usuários a opção de uso Livre, onde o pagamento é feito por hora+quilômetro rodado, o motorista agora também pode utilizar três novos pacotes:

 

Pacote 12h: Nessa modalidade, o usuário paga R$ 72,00 pelas 12 horas de uso, o que gera uma economia de R$ 24,00. A hora adicional de uso custa R$ 6,00.

 

Pacote 24h: No pacote de um dia inteiro, o preço é R$ 132,00 uma economia de R$ 60,00. O valor da hora adicional nessa modalidade é R$ 5,50.

 

Pacote 48h: Para usar o serviço da Zazcar por dois dias, o usuário só precisa pagar R$ 240,00 por este pacote, R$ 144,00 a menos do que seria gasto na modalidade Livre. As horas adicionais ficam por R$ 5,00.

 

Em todos os pacotes, o quilômetro rodado permanece por R$ 0,50, com o valor mínimo de utilização em R$ 20,00. “Adicionamos mais essa inovação no nosso serviço devido a demanda do nosso público. Ao longo dos últimos meses, muitos clientes comentaram sobre a necessidade de opções mais em conta para utilização em períodos mais longos. A partir deste feedback passamos a planejar os pacotes para, enfim, chegarmos ao formato que está no aplicativo”, explica o CEO da Zazcar, Felipe Barroso.

 

Antes de iniciar a viagem, é só escolher entre o uso Livre ou adquirir um dos pacotes de horas. É importante lembrar que o seguro do veículo e o combustível já estão incluídos no valor pago. Para o uso Livre, a hora de Zazcar custa R$ 8,00.

 

Os pacotes de Zazcar já estão disponíveis na versão iOS do aplicativo da empresa. Para a versão Android, a novidade estará disponível até o final do mês.

Mesmo com grid pequeno e arquibancadas vazias, as disputas na F-Inter foram intensas - Foto: Rodrigo Ruiz

Mesmo com grid pequeno e arquibancadas vazias, as disputas na F-Inter foram intensas – Foto: Rodrigo Ruiz

 

O mineiro Marcelo Henriques dominou completamente a segunda etapa da Fórmula Inter – a mais nova categoria de monopostos do Brasil -, que foi a grande atração de domingo (29) no Autódromo de Interlagos, em São Paulo, encerrando a programação do Campeonato Paulista de Automobilismo. O piloto de Juiz de Fora largou da pole position, estabeleceu a volta mais rápida e venceu de ponta.

 

“Não estou acreditando, acho que estou sonhando. É inacreditável vencer em Interlagos, um ano atrás achei não ser possível, mas não desisti”, comemorou pulando muito. Na segunda posição terminou o estreante Daniel Mageste, de Volta Redonda (RJ), seguido de Pedro Aguiar, de Americana (SP). Completaram o pódio o ralizeiro Marcelo Zebra, em quarto, o líder do campeonato Gustavo Coelho, e o paulista Alexandre Galassi, completando os seis primeiros.

 

Apesar de mais experiente e empreender um ritmo forte, em nenhum momento Marcelo Henriques conseguiu se desvencilhar de Daniel Mageste, que fazia a sua primeira corrida de carros. Tanto que o mineiro teve que acelerar tudo no penúltimo giro, para estabelecer a passagem mais rápida (1min51s176) e abrir uma pequena folga de 1s797 na bandeirada após 15 voltas. “Estou muito feliz, obrigado a todos. Eu tenho mais a aprender, o carro estava perfeito, mas o Marcelo (Henriques) também estava perfeito”, declarou o tricampeão carioca de kart F-400.

 

Líder do campeonato da Fórmula Inter, Gustavo Coelho larga do sexto posto - Foto: Rodrigo Ruiz

Gustavo Coelho manteve liderança no campeonato – Foto: Rodrigo Ruiz

 

Vencedor da histórica primeira prova da Fórmula Inter, mesmo terminando em quinto o carioca Gustavo Coelho manteve a liderança do certame, com 55 pontos, dois de vantagem sobre Henriques, o novo vice-líder. “Foi uma corrida divertida, brigando com vários pilotos. Eu perdi o quarto lugar para o (Marcelo) Zebra na linha de chegada, pois ele pegou o meu vácuo e teve a vantagem de um décimo de segundo. Meu carro perdeu rendimento em reta, mas foi uma corrida legal, bem emocionante. O importante é que a categoria está equilibrada”, contou o líder.

 

Em terceiro no campeonato está o regular Marcelo Zebra, com 50 pontos. “A minha maior disputa é comigo mesmo, para evoluir. É um aprendizado a cada treino, a cada corrida. Agora quero manter esta média para ficar ali na frente”, disse o irreverente piloto com 28 anos de experiência em rali, que está dando os seus primeiros passos com monoposto. “Foi uma bela briga de zoológico. Mas no fim o Zebra atropelou o Coelho!”. A terceira etapa da Fórmula Inter será dia 18 de fevereiro, novamente no Autódromo de Interlagos, dentro da programação do Campeonato Paulista de Automobilismo. 

 

Henriques, com efeito, comemorou sua vitória em Interlagos - Foto: Rodrigo Ruiz

Henriques, com efeito, comemorou sua vitória em Interlagos – Foto: Rodrigo Ruiz

 

Confira o resultado da segunda etapa da Fórmula Inter:

1) Marcelo Henriques (MG), 15 voltas em 29min56s084

2) Daniel Mageste (RJ), a 1s797

3) Pedro Aguiar (SP), a 6s413

4) Marcelo Zebra, a 13s844

5) Gustavo Coelho, a 14s020

6) Alexandre Galassi, a 1 volta

7) Raphael Figueiredo (RJ), a 2 voltas

 

Classificação da Fórmula Inter:

1) Gustavo Coelho (RJ), 55 pontos

2) Marcelo Henriques (MG), 53

3) Marcelo Zebra (SP), 50

4) Raphael Figueiredo (RJ), 46

5) Alexandre Galassi (SP), 44

6) Pedro Aguiar (SP), Luiz Menezes Junior (SP) e Daniel Mageste (RJ), 29 pontos

Fonte: Organização

 

Fórmula Inter, mais que uma categoria, é uma estrutura de formação de pilotos profissionais - Foto: Rodrigo Ruiz

Fórmula Inter, mais que uma categoria, é uma estrutura de formação de pilotos profissionais – Foto: Rodrigo Ruiz

 

A novidade – A Fórmula Inter tem excelente relação custo/benefício, já que adota o modelo em que o competidor paga pelo aluguel do equipamento e dos serviços, e ao chegar à pista para competir encontra o carro pronto para sentar e pilotar. Todos os monopostos são propriedades da Formula Inter, e portando, são mantidos pela mesma, garantindo qualidade, segurança e equilíbrio através do sorteio dos carros a cada corrida. O custo da temporada é equivalente a R$ 13.990 por prova. A modalidade oferece a todos os seus participantes acesso à Academia F.Inter, que ministra aulas de mecânica, dados, pilotagem, media training, marketing, entre outras disciplinas complementares para quem deseja se aprimorar na profissão.

 

O F-Inter MG-15 foi projetado e construído por José Minelli, com a experiência de mais de 45 anos no automobilismo brasileiro, e certificado por engenheiros de universidade nacional, que se valeram das melhores práticas construtivas e dos mesmos softwares utilizados pelos principais fabricantes de veículos de competição em todo o mundo, e dos mais resistentes e avançados materiais, privilegiando a segurança, performance e competitividade. Cerca de 95% dos componentes do carro foram desenvolvidos e produzidos na fábrica da Formula Inter na região do Autódromo de Interlagos, e foram adotadas soluções sustentáveis como combustível etanol e tinta a base de água.

 

O Fórmula Inter utiliza rodas de fabricação própria em magnésio de aro 13 polegadas, com tala 8″ na dianteira e 11″ na traseira, que recebem pneus slick Pirelli PZero Slick, 225/40 VR13 dianteiros e 265/540 VR13 traseiros. O Power train é composto por motor 2.0, quatro cilindros, 16 válvulas, injeção direta, que gera 191 hp e torque máximo de 21 kgfm a 6.000 rpm, alimentado por etanol, acoplado a caixa de câmbio nacional com 5 marchas em “h”. A velocidade máxima em Interlagos é de 220 km/h.

Etapa de abertura do Campeonato Brasileiro de Enduro FIM será em março - Foto: Janjão Santiago

Etapa de abertura do Campeonato Brasileiro de Enduro FIM será em março – Foto: Janjão Santiago

 

O Campeonato Brasileiro de Enduro FIM promete fortes emoções em 2017. Os títulos da temporada estarão em jogo em sete etapas, com a prova de abertura marcada para os dias 18 e 19 de março no Shopping SerrAzul, em Itupeva (SP). “A cada ano, o Brasileiro conquista mais reconhecimento no segmento off-road. Isto porque, além de profissionalismo e dedicação por parte dos organizadores, apresenta equipes de ponta, competitividade e ainda atrai novos adeptos por onde passa”, explicou Maurício Brandão, diretor da modalidade na Confederação Brasileira de Motociclismo (CBM).

 

As disputas envolvem dez categorias: E1, E2, E3, EJúnior, Over 35, Over 40, Over 45 e Light, além das novas classes Over 50 e EAmador. Os pilotos da elite do motociclismo também estarão de olho no título geral do campeonato, o qual aponta o mais rápido da competição. “O Brasileiro é fruto do esforço conjunto de todos os que amam o esporte. Existem muitos desafios que envolvem a organização, como as mudanças na gestão de algumas prefeituras (o que pode ser decisivo já que muitas etapas contam com o suporte dos municípios) e a luta diária para fidelizar os patrocinadores em tempos de dificuldades econômicas no país. De qualquer forma, o Brasileiro está firme e vai continuar impulsionando o crescimento da modalidade em 2017.”

 

Campeonato será disputado em dez categorias - Foto: Janjão Santiago

Campeonato será disputado em dez categorias – Foto: Janjão Santiago

 

Brandão ainda destacou a preocupação da organização em conciliar as datas do calendário. “Acreditamos que os pilotos são a base do campeonato, sem eles não há disputas emocionantes e a formação de ídolos para renovar o esporte. Por isso, escolhemos datas que não conflitam com outros eventos importantes do calendário off-road, como o Minas Riders (etapa do Mundial de Hard Enduro), o Rally dos Sertões e o Enduro da Independência. A ideia é que o grid do Brasileiro de Enduro continue crescendo a cada ano”, acrescentou.

 

Confira as etapas do Brasileiro de Enduro FIM 2017:

 

1ª etapa – 18 e 19 de março no Shopping SerrAzul, em Itupeva (SP) – O Shopping SerrAzul é o maior ponto de encontro de motociclistas do país. Construído sobre a Rodovia dos Bandeirantes, em Itupeva (SP), o local possui localização estratégica e toda a estrutura necessária para receber a abertura do Brasileiro. A etapa será desenhada pelo experiente Fábio Campos, piloto e diretor da Sacramento Motorsports, que conhece como ninguém as trilhas da região.

 

2ª etapa – 8 e 9 de abril em Patrocínio (MG) – Famosa por exigir muita habilidade e técnica dos pilotos, a etapa de Patrocínio, no Triângulo Mineiro, terá dois tipos de percurso: um para as categorias profissionais e outro para as demais classes, com tempos mais flexíveis. O Motoclube do Cerrado (comandado por Maurício Brandão, André Urso e Rogério Leite) estará à frente dos trabalhos mais uma vez. Assim, estão garantidas a excelência nas trilhas e uma equipe experiente na execução da etapa, que foi palco do Ibero-Americano de Enduro FIM em 2015. As disputas ainda serão válidas pelo Campeonato Mineiro e pela Copa Cerrado da modalidade.

 

3ª etapa – 27 e 28 de maio em Biguaçu (SC) – Às margens da Rodovia BR 101, a etapa faz parte do Campeonato Brasileiro desde 2011 e é realizada pelo Trail Clube de Biguaçu com total apoio da Federação Catarinense de Motociclismo (FCM). Marisérgio Kons “Pezão” e sua turma sempre realizam provas de alto nível técnico. O grande desafio é vencer o terreno acidentado e liso, ainda mais em dias de chuva.

 

4ª etapa – 10 e 11 de junho em Aracruz (ES) – O evento de Aracruz é a principal prova do Campeonato Capixaba de Enduro FIM. Aloisio Sfalsim “Telão” e o Trail Clube Tribo da Trilha têm feito um excelente trabalho, já que a prova envolve toda a região com especiais montadas praticamente dentro da cidade, as quais atraem grande público. Outra característica da etapa é o paddock muito bem estruturado para pilotos e equipes.

 

5ª etapa – 29 e 30 de julho – Nova Lima (MG) – Meca dos “trilheiros” no Brasil, Nova Lima fica na região motropolitana de Belo Horizonte (MG) e é privilegiada para a prática da modalidade. O lugar apresenta diversas opções e a etapa será realizada em parceria com o Desafio Fast Brothers, cuja base fica no distrito de Honório Bicalho. Gianino Coscarelli e os pilotos da Fast Brothers, em conjunto com o diretor da CBM, Maurício Brandão, e o novo presidente da FMEMG (Federação de Motociclismo de MG), Gustavo Jacob, já cuidam de todos os detalhes para que a etapa seja mais um sucesso. O evento ainda soma pontos para o Campeonato Mineiro e para a final da Copa O2 BH.

 

6ª etapa – 16 e 17 de setembro – Serra da Canastra (MG) – A sexta etapa traz as belas paisagens da região da Serra da Canastra, em Minas Gerais. A prova fica a cargo da Masteracing, que conta com a experiência de Aluísio Ambrósio, Maurilio Lemos e de sua dedicada equipe. Estão garantidas excelentes trilhas e um evento muito bem organizado, já que os envolvidos possuem ampla experiência na realização de provas válidas por campeonatos estaduais e nacionais.

 

7ª etapa – 14 e 15 de Outubro – Farroupilha RS – O Brasileiro de Enduro FIM define os seus campeões em grande estilo, com a final em Farroupilha, no coração da Serra Gaúcha. O Estado, que possui muita tradição no esporte, conta com a organização do Motoclube de Farroupilha (comandado por Marcos Banvinutti). Além do “Enduro da Reta Curva”, os organizadores mostraram muito potencial na realização da final do Gaúcho de Enduro 2016 e estão prontos para receber uma etapa do Brasileiro pela primeira vez. Nesta prova, que por regulamento não pode ser descartada, haverá a premiação aos campeões da temporada 2017.