Skip to content

RICARDO RIBAS

Jornalismo feito por jornalista

Archive

Archive for novembro, 2014
Cenário da etapa dispensa comentários de tão perfeito - Ricardo Leizer

Cenário da etapa dispensa comentários de tão perfeito – Ricardo Leizer

A última etapa da temporada 2014 do rali de regularidade Mitsubishi Motorsports, disputada em João Pessoa (PB) terminou em festa foi ainda mais especial já que celebrou os 20 anos da competição. Os participantes vieram de várias cidades do País a bordo de seus Mitsubishi e encararam lindas trilhas com diversos tipos de piso, como areia e terra, e também surpresas como travessia de rio, passagem por canaviais e matas. No fim da etapa, as melhores duplas foram premiadas. Também subiram ao pódio os campeões do ano nas categorias Graduados, para duplas experientes, e Turismo, para quem tem experiência intermediária.

 

Na Graduados, os mineiros Fabio Carvalho e Claudio Flores, de Belo Horizonte, levaram a melhor na etapa e também no campeonato 2014. “Sou bicampeão do Nordeste. Venci em 2011 e hoje repeti a dose”, conta o piloto de um Pajero Full. “Foi o primeiro ano que corremos juntos e deu certo.” O navegador, Claudio, celebrou a vitória. “Isso não tem explicação. E o prêmio é show de bola.” A dupla ganhou uma viagem para o Camel Charme Resort, em Aquiraz (CE).

 

Na categoria Turismo, o pódio da etapa foi 100% cearense. “Foi diferente de todas as outras provas do Nordeste”, conta Renan Fernandes Felix, navegador campeão. A mudança de piso e as belas paisagens surpreenderam os competidores que correm a bordo de uma picape L200. “Começamos a fazer rali por causa da Mitsubishi. Sempre sonhamos com essa vitória e chegamos de lá. E hoje temos a família aqui para aplaudir”, comemora Renan.

 

Competidores enfrentaram diferentes tipos de pisos em João Pessoa - Tom Papp

Competidores enfrentaram diferentes tipos de pisos em João Pessoa – Tom Papp

Já pelo campeonato, a vitória ficou com os amigos Nestor Magalhães e Leonardo Bezerra, também cearenses de Fortaleza. “Faz um ano que começamos a correr. Nossa interação foi importante e as provas foram muito boas”, conta Nestor, piloto de um Pajero TR4. “O evento é show, as provas são bem elaboradas”, completa Leonardo. A dupla levou um pacote para o Hotel Tankamana, em Itaipava (RJ).

 

Na categoria Turismo Light, para duplas iniciantes, vitória de mais uma dupla de Fortaleza. “Ficamos em segundo na etapa em nossa cidade natal e viemos tentar o primeiro lugar”, conta o navegador Humberto Waldy Milerio Neto. Ele e o piloto Rômulo Cavalcanti Lima Junior são amigos de infância e correm juntos há um ano a bordo de uma L200 Triton. “Tem vários competidores de alto nível, é uma prova linda, muito bacana de competir”, conclui o piloto.

 

Para encerrar a temporada 2014, os participantes curtiram um show exclusivo da banda Forró Bakana.

 

Resultados 4ª etapa – João Pessoa (PB)

Categoria Graduados

1. Fabio Carvalho/Claudio Flores – Belo Horizonte (MG) – 344 pontos perdidos

2. Kwong Fai/Mateus Galvão – Natal (RN) – 404 p.p.

3. Fernando Oliveira/Jean Paul Bernhardt – Teresina (PI) – 410 p.p.

4. Omar Dantas/Flavio Marinho de Franca – Natal (RN) – 434 p.p.

5. José Rufino Silva Neto/Glauco Holanda Junior – Fortaleza (CE) – 513 p.p.

 

Categoria Turismo

1. Charles Nobre Rabelo/Renan Fernandes Feliz – Fortaleza (CE) – 522 pontos perdidos

2. Nestor Magalhães/Leonardo Bezerra – Fortaleza (CE) – 707 p.p.

3. Carlos Lopes/Ivanildo Lopes – Fortaleza (CE) – 961 p.p.

4. Pedro Barbosa/Sirio Silva – Fortaleza (CE) – 1015 p.p.

5. Walter Santana/Francisco Claudio – Fortaleza (CE) – 1116 p.p.

 

Categoria Turismo Light

1. Romulo Cavalcanti Lima Junior/Humberto Waldy Milerio Neto – Fortaleza (CE) – 514 pontos perdidos

2. Raimundo Chaves Neto/Jardel Almeida – Fortaleza (CE) – 591 p.p.

3. George William Alves Queiroz/Michel Nunes Queiroz Miranda – Neópolis (SE) – 740 p.p.

4. Alberto Barbosa/Arthur Compasso – Recife (PE) – 768 p.p.

5. Fernando Heleno/Dennis Duarte – João Pessoa (PB) – 941 p.p.

 

Resultado Campeonato 2014

Categoria Graduados – Piloto

1. Fabio Carvalho – Belo Horizonte (MG) – 88 pontos

2. Kwong Yiu Fai – Natal (RN) – 82 pontos

3. Fernando Oliveira – Teresina (PI) – 82 pontos

4. Omar Dantas – Natal (RN) – 76 pontos

5. Aristoteles Filho – Fortaleza (CE) – 72 pontos

 

Categoria Graduados – Navegador

1. Claudio Flores – Belo Horizonte (MG) – 88 pontos

2. Matheus Galvão Fialho Rocha – Natal (RN) – 82 pontos

3. Jean Paul Bernhardt – Teresina (PI) – 82 pontos

4. Aristoteles Neto – Fortaleza (CE) – 72 pontos

5. Glauco Holanda Junior – Fortaleza (CE) – 72 pontos

 

Categoria Turismo – Piloto

1. Nestor Magalhaes – Fortaleza (CE) – 96 pontos

2. Charles Nobre Rabelo – Fortaleza (CE) – 86 pontos

3. Carlos Lopes – Fortaleza (CE) – 68 pontos

4. Marcos Jose dos Santos – Fortaleza (CE) – 63 pontos

5. Thiago Soares Ferreira – Maceió (AL) – 60 pontos

 

Categoria Turismo – Navegador

1. Leonardo Bezerra – Fortaleza (CE) – 96 pontos

2. Renan Fernandes Felix – Fortaleza (CE) – 93 pontos

3. Ivanildo Lopes – Fortaleza (CE) – 68 pontos

4. Pedro Rafael Lima Gomes – Fortaleza (CE) – 63 pontos

5. Emerson Toshio Arakaki – Maceió (AL) – 60 pontos

Fonte: Mitsubishi

Rubens Barrichello comemora com a equipe o título de campeão da Stock Car 2014

Rubens Barrichello comemora com a equipe o título de campeão da Stock Car 2014 em sua segunda temporada – Vicar

Rubens Barrichello é o campeão do Circuito Schin Stock Car 2014. Na última corrida do campeonato, disputada domingo (30) em Curitiba, o piloto da equipe Full Time Sports largou na pole position, mas cometeu um erro ainda no início da prova e caiu para a quarta posição. Rubinho conseguiu se manter entre os primeiros durante toda a prova, ganhou uma posição após a parada obrigatória nos boxes e cruzou a linha de chegada em terceiro, para conquistar seu primeiro título na categoria.

 

A prova foi vencida por Daniel Serra, que largou em segundo e se aproveitou do erro de Rubinho para conquistar sua segunda vitória no campeonato. Átila Abreu terminou a prova de Curitiba em segundo e garantiu o vice-campeonato. “O que faltava para mim ano passado eu consegui buscar esse ano, que é saber o que o carro precisava de mim e o que eu precisava do carro. Mas o que conseguiu mudar o meu ano foi a vitória na Corrida do Milhão. Ali ficou provado que a gente tinha condições de lutar pelo campeonato”, comentou Barrichello.

 

Barrichello largou da pole mas perdeu a primeira posição e terminou em 3º - Divulgação

Barrichello largou da pole mas perdeu a primeira posição e terminou em 3º – Vicar

“Tinha a posição mais confortável dos oito pilotos, mas precisava estar na pista, precisava marcar pontos e aí aconteceu uma coisa incrível, que não havia acontecido o campeonato inteiro. Eu estava liderando, fui frear e meu pé escapou do freio. Me vi passando direto, mas consegui contornar a curva, acabei pegando um pouco de água, ou óleo, e escorreguei, mas graças a Deus consegui controlar e voltar para a pista em quarto”, acrescentou Barrichello.

 

Com a vitória conquistada domingo, Daniel Serra mantém 100% de aproveitamento em Curitiba. “Na última vez eu venci e levei metade e agora ganhei e levei o dobro (dos pontos). Acho que ficou justo. Fechar o ano assim é muito positivo. Como falei com o pessoal da equipe, espero que esse aqui não seja o final de 2014, mas o início de 2015″, comentou o competidor da Red Bull Racing, lembrando que na última corrida da Stock na Capital Paranaense a prova teve de ser interrompida antes do final e por isso a corrida valeu a metade da pontuação.

 

“Ser vice atrás do Rubinho para mim é um mérito. É um dos maiores pilotos que o Brasil já teve na história. Então fico muito honrado pela disputa. Sabia que seria uma corrida que dependeria muito de como ele estaria. Na primeira volta ainda teve o óleo derramado eu achei que ainda desse. Se ele perdesse uma (posição) e eu ganhasse uma, as coisas viravam para o meu lado. Mas ele teve um ritmo muito bom”, comentou Átila Abreu.

 

Confira como acabou a corrida:

 

1. Daniel Serra (Red Bull Racing) -  29 voltas em 41min28s103

2. Átila Abreu (Mobil Super Racing) – a 0.482

3. Rubens Barrichello (Full Time Competições) – a 1.782

4. Cacá Bueno (Red Bull Racing) – a 4.344

5. Allam Khodair (Full Time Competições) – a 8.045

6. Nonô Figueiredo (Mobil Super Racing) – a 20.903

7. Felipe Lapenna (Hot Car Competições) – a 20.961

8. Rafael Suzuki (ProGP) – a 28.465

9. Fabio Fogaça (Schin Racing Team) – a 32.258

10. Tuka Rocha (RZ Motorsport) – a 32.808

11. Popó Bueno (Shell Racing) – a 33.068

12. Diego Nunes (C2 Team) – a 33.095

13. Sergio Jimenez (Voxx Racing Team) – a 40.052

14. Ricardo Mauricio (Eurofarma RC) – a 40.991

15 Galid Osman (Ipiranga-RCM) – a 44.255

16 Felipe Tozzo (Boettger Competições) – a 47.846

17 Alceu Feldmann (Hanier Racing) 1 Lp.

18 Luciano Burti (Vogel Motorsport) 1 Lp.

19 Valdeno Brito (Shell Racing) 1 Lp.

20 Denis Navarro (Voxx Racing Team) 1 Lp.

21 Max Wilson (Eurofarma RC) 1 Lp.

22 Beto Cavaleiro (Hanier Racing) 1 Lp.

23 Antonio Pizzonia (Prati-Mico’s Racing) 6 Lp.

24 Julio Campos (Prati-Mico’s Racing) 8 Lp.

25 Bia Figueiredo (ProGP) 14 Lp.

26 Gabriel Casagrande (C2 Team) 17 Lp.

27 Lucas Foresti (RC3 Bassani) 25 Lp.

28 Thiago Camilo (Ipiranga-RCM) 28 Lp.

29 Ricardo Zonta (RZ Motorsport) 28 Lp.

30 Marcos Gomes (Schin Racing Team) 28 Lp.

31 Felipe Fraga (Vogel Motorsport) -

32 Raphael Matos (Hot Car Competições) -

33 Vitor Genz (Boettger Competições) –

Fonte: Vicar

 

Stock Car, Campeonato de pilotos, final:

 

1. Rubens Barrichello (Medley Full Time Competições) – 234 pontos

2. Átila Abreu (Mobil Super Racing) – 223,5

3. Cacá Bueno (Red Bull Racing) – 191

4. Allam Khodair (Full Time Competições) – 185

5. Daniel Serra (Red Bull Racing) – 182

6. Thiago Camilo (Ipiranga-RCM) – 174,5

7. Sergio Jimenez (Voxx Racing Team) – 174

8. Julio Campos (Prati Mico’s Racing) – 167,5

9. Antonio Pizzonia (Prati Mico’s Racing) – 158,5

10. Ricardo Maurício (Eurofarma RC) – 144,5

11. Max Wilson (Eurofarma RC) – 144

12. Valdeno Brito (Shell Racing) – 129

13. Marcos Gomes (Schin Racing Team) – 126

14. Ricardo Zonta (RZ Motorsport) – 108

15. Felipe Fraga (Vogel Motorsport) – 104

16. Raphael Matos (Hot Car Competições) – 104

17. Galid Osman (Ipiranga-RCM) – 101,5

18. Felipe Lapenna (Hot Car Competições) – 97

19. Luciano Burti (Vogel Motorsport) – 91

20. Diego Nunes (C2 Team) – 81

21. Nonô Figueiredo (Mobil Super Racing) – 73,5

22. Popó Bueno (Shell Racing) – 72

23. Gabriel Casagrande (C2 Team) – 71

24. Tuka Rocha (RZ Motorsport) – 66

25. Denis Navarro (Voxx Racing Team) – 62

26. Vitor Genz (Boettger Competições) – 49

27. Rafael Suzuki (ProGP) – 47,5

28. Lucas Foresti (RC3 Bassani) – 42,5

29. Alceu Feldmann (Hanier Racing) – 38

30. Fabio Fogaça (Schin Racing Team) – 31

31. Felipe Tozzo (Boettger Competições) – 17

32. Bia Figueiredo (ProGP) – 15

33. Beto Cavaleiro (Hanier Racing) – 0

34. Vicente Orige (Boettger Competições) – 0

35. Mauri Zaccarelli (RC3 Bassani) – 0

36. Felipe Gama (RC3 Bassani) – 0

37. Lico Kaesemodel (Boettger Competições) – 0

38. Wellington Justino (Boettger Competições) – 0

Fonte: Vicar

Da esquerda para a direita, Luiz Moan Yabiku Júnior, presidente da Anfavea, o represente da Chevrolet  e Joel Silveira Leite, da AutoInforme - Divulgação

Da esquerda para a direita, Luiz Moan Yabiku Júnior, presidente da Anfavea, o represente da Chevrolet e Joel Silveira Leite, da AutoInforme – Divulgação

Com apenas 8,5% de depreciação em um ano, o Chevrolet Onix foi o automóvel melhor avaliado no Prêmio Maior Valor de Revenda, da Agência AutoInforme. Embora o estudo de depreciação seja desenvolvido há mais de dez anos, a partir dos levantamentos da Molicar, é pela primeira vez que a AutoInforme faz a premiação, com o objetivo de estimular montadoras e importadoras a valorizar seus próprios produtos e, por consequência, preservar os investimentos dos consumidores finais.

 

Outros quinze veículos foram contemplados pelo Prêmio Maior Valor de Revenda, respectivamente em suas categorias: Renault Master (Comercial – 10,7%), Fiat Palio Fire (Entrada – 10,9%), Volkswagen Golf (Hatch Médio – 10,3%), Fiat 500 (Hatch Premium – 12,4%), Chevrolet Spin (Minivan – 12,7%), Honda Fit (Monovolume – 11,7%), Fiat Palio Weekend (Perua – 13,8%), Fiat Strada (Picape Pequena – 11,2%), Toyota Hilux (Picape Média – 13,2%), Hyundai HB20S (Sedã Pequeno – 11,6%), Toyota Corolla (Sedã Médio – 12,7%), Ford Fusion (Sedã Grande), Ford EcoSport (Utilitário Esportivo Pequeno – 11,1%), Honda CRV (Utilitário Esportivo Grande – 11,9%) e o próprio Chevrolet Onix na categoria Hatch.

 

A pesquisa considerou os 100 modelos e versões zero km mais vendidos. Além das marcas/modelos vencedores desta 1ª edição do Maior Valor de Revenda, foram analisados modelos das marcas Audi, Chery, Citroën, JAC, Jeep, Kia Motors, Land Rover, Lifan, Mercedes-Benz, Mini, Mitsubishi, Nissan, Peugeot e Suzuki. Segundo Joel Leite, idealizador do prêmio e diretor da Agência AutoInforme, “esse estudo vem sendo feito há mais de dez anos, em parceria com a Molicar, e este ano resolvemos transformá-lo num prêmio, um reconhecimento às marcas que tiveram os seus carros entre os de Maior Valor de Revenda em 2014”, para quem “em vez de questionar por que um carro perde valor, deveríamos perguntar por que um carro mantém um valor de mercado tão alto e por tanto tempo”.

 

Segundo Leite, um carro com um ano de uso pode perder de 7% a 25% do valor inicial - Foto: Roberto Parizotti

Segundo Leite, um carro com um ano de uso pode perder de 7% a 25% do valor inicial – Foto: Roberto Parizotti

Em sua avaliação, Joel Leite considera que o carro é um dos raros bens de consumo que continua valorizado depois de sair da loja. E a manutenção do seu valor depende de vários fatores, muitas vezes sem a menor lógica: um carro com um ano de uso pode perder de 7% a 25% do valor inicial e a diferença pode aumentar ainda mais com o avanço da idade. “A depreciação depende de vários fatores: do tamanho do carro, da marca, da rede de revendedores, do cuidado que a marca tem em relação ao pós-vendas, ao segmento, a origem, ao fato de ter grande volume de venda, à sua aceitação no mercado”, enfatiza Leite.

 

O estudo de depreciação de veículos automotores feito pela Agência Autoinforme, com base na cotação da Molicar, é o indicador dos ganhadores do prêmio Maior Valor de Revenda 2014. A comparação foi feita entre o preço praticado do carro zero km em novembro de 2013 e o preço do mesmo carro (portanto com um ano de uso) doze meses depois. Foram considerados os preços praticados no mercado de carros zero em novembro de 2013 e não os preços de tabela. O estudo considera as diversidades ocorridas no mercado na época da cotação – como a disponibilidade do produto, os bônus concedidos pelas fábricas e repassados ao consumidor, entre outros fatores – eliminando eventuais distorções de preços provocadas por essas ações.

 

Foram eliminados os carros que tiveram modificações consideráveis nos últimos doze meses, para que a comparação não comprometesse o resultado do estudo. Como critério de escolha dos participantes, foram considerados os 100 carros mais vendidos no Brasil. Para o diretor da Molicar, Vitor Meizikas Filho, cada segmento tem suas características, seja pela finalidade de utilização, tecnologia, ou até pela aura emocional do momento, ligada a determinada marca ou modelo.

 

“No caso de veículos comerciais, picapes e utilitários esportivos a baixa depreciação é reflexo direto da robustez, qualidade e suporte da rede autorizada disponível no pós venda e assistência técnica”, elucida Meizikas. “Nos modelos de entrada, minivans e monovolumes, a menor depreciação é reflexo do volume de vendas do zero. Se existe a preferência é porque a relação custo x beneficio é o melhor, diminuindo assim a depreciação. E no caso de modelos hatchs e sedãs, o que garante o bom valor de revenda é a tecnologia embarcada e arrojo no desenho”, conclui.

 

Confira os participantes:

Divulgação

Divulgação

Da esquerda para a direita, Rubinho, líder, seguido de Átila Abreu e Thiago Camilo - Duda Bairos Vicar

Da esquerda para a direita, Rubinho, líder, seguido de Átila Abreu e Thiago Camilo – Duda Bairros/Vicar

A decisão da Stock Car 2014 começa hoje (28), com os primeiros treinos livres no Autódromo Internacional de Curitiba. A corrida decisiva acontece no domingo, a partir das 10h30, com transmissão vivo da Globo e também no SporTV. Oito pilotos estão na briga pelo troféu de campeão. Rubens Barrichello lidera o campeonato com 198 pontos, e pode se sagrar campeão mesmo se cruzar a linha de chegada na quarta posição. Átila Abreu é o vice líder, com 183,5. Thiago Camilo é o terceiro, com 174,5. Julio Campos é o quarto (167,5), seguido por Antonio Pizzonia (158,5), Sérgio Jimenez (158), Cacá Bueno (157) e Allam Khodair (153).

 

Dois oito concorrentes, todos venceram pelo menos uma corrida. A exceção é Cacá Bueno, que pela primeira vez em sua carreira, pode terminar uma temporada sem vencer nenhuma corrida. Já Barrichello vive um grande ano. O ex-piloto da F1 se firmou entre os favoritos ao título e conquistou suas primeiras vitórias na categoria, ao vencer a Corrida do Milhão e também ganhar uma das corridas em Cascavel.

 

Basta chegar em quarto para Barrichello ser campeão - Miguel Costa Jr

Basta chegar em quarto para Barrichello ser campeão – Miguel Costa Jr

Já Átila Abreu venceu em Brasília. Thiago Camilo é quem mais venceu ao longo da temporada. Após zerar nas duas primeira etapas, Camilo subiu ao degrau mais alto do pódio em Brasília, Goiânia e Santa Cruz do Sul. Júlio Campos venceu em Tarumã, Pizzonia ganhou em Santa Cruz do Sul e Tarumã. Jimenez venceu uma das provas em Salvador, assim como Khodair.

 

Confira a programação de pista:

 

Sexta-feira (28)

14h30 – 14h40 – Shakedown (Grupo 1)

14h50 – 15h00 – Shakedown (Grupo 2)

15h10 – 15h50 – 1o Treino Livre (Grupo 1)

16h00 – 16h40 – 1o Treino Livre (Grupo 2)

 

Sábado (29)

09h20 – 10h20 – 2o Treino Livre (Grupo 1)

10h25 – 11h25 – 2o Treino Livre (Grupo 2)

14h00 – 15h00 – Classificação

 

Domingo (30)

10h30 – Largada Stock Car

13h45-14h45 – Visitação aos boxes

Fonte: Vicar

Encerramento da temporada será em grande estilo, garante a Mitsubishi - Ricardo Leizer

Encerramento da temporada será em grande estilo, garante a Mitsubishi – Ricardo Leizer

A Nação 4×4 se encontra em João Pessoa (PB) no dia 29 de novembro para a final da temporada do Mitsubishi Motorsports Nordeste 2014. “A prova promete ser muito bonita e desafiadora para os legítimos 4×4″, adianta Fernando Julianelli, diretor de marketing da Mitsubishi Motors. As inscrições estão abertas e podem ser feitas através do site. Para participar, não há taxa: os participantes fazem a doação de 30kg de alimentos e kits de higiene pessoal, que são destinados a instituições da cidade.

 

Para comemorar os 20 anos do rali de regularidade Mitsubishi Motorsports e encerrar a temporada 2014, os participantes curtirão um show exclusivo – e surpresa! “Este ano é muito especial para nós. Será uma festa muito bacana”, garante Julianelli.

 

A prova largará do Centro de Convenções de João Pessoa – Poeta Ronaldo Cunha Lima rumo ao norte e passará pelos municípios de Cruz do Espírito Santo e Santa Rita. “Os participantes encontrarão piso de areia, mata, canavial e travessia de rio”, conta Julianelli. “Além dos desafios do terreno, as duplas vão encontrar paisagens lindas.”

 

Podem participar veículos 4×4 das linhas Pajero e L200. A competição é dividida em três categorias: a Graduados, para duplas experientes, fará um percurso de 180 km. A categoria Turismo, para quem tem experiência intermediária, andará 160 km e a Turismo Light, para iniciantes, 140 km. “É totalmente diferente do nosso dia a dia e muito bacana de participar”, conta o navegador Runaldo Gomes, que corre com um Pajero Dakar ao lado do pai.

 

Para celebrar as duas décadas de rali de regularidade Mitsubishi Motorsports será sorteada, entre os pilotos, uma viagem para o incrível resort Cristalino Jungle Lodge, na Amazônia, com um acompanhante.

 

Prêmios – O piloto campeão da categoria Graduados/Nordeste irá com acompanhantes para o Camel Charme Resort, em Aquiraz, próximo de Fortaleza. Já o vencedor da Turismo/Nordeste ganhará um pacote para o Hotel Tankamana, em Itaipava, região serrana do Rio de Janeiro.

 

Os participantes encontrarão piso de areia, mata, canavial e travessia de rio - Ricardo Leizer

Os participantes encontrarão piso de areia, mata, canavial e travessia de rio – Ricardo Leizer

Programação – Mitsubishi Motorsports Nordeste – João Pessoa (PB)

Sexta-feira (28)

Entrega de kits, vistoria, briefing e aula de navegação – das 17h às 22h

Local: Centro de Convenções Poeta Ronaldo Cunha Lima. Endereço: Rodovia PB-008, KM 05, Jacarapé, Polo Ecoturístico do Cabo Branco, João Pessoa (PB)

 

Sábado (29)

Endereço: Centro de Convenções Poeta Ronaldo Cunha Lima. Endereço: Rodovia PB-008, KM 05, Jacarapé, Polo Ecoturístico do Cabo Branco, João Pessoa (PB)

7h30 – Entrega das planilhas para Categoria Graduados

A partir das 14h – Chegada e almoço

A partir das 17h – Premiação e show de encerramento

Fonte: Mitsubishi

Prêmio da AutoInforme/Molicar visa valorização de veículos usados - Divulgação

Prêmio da AutoInforme/Molicar visa valorização de veículos usados – Divulgação

Quinze modelos de veículos automotores, de quinze categorias, e o modelo Campeão Geral recebem nesta sexta-feira (28) o Prêmio Maior Valor de Revenda, em sua 1ª edição. Embora o estudo de depreciação seja desenvolvido há mais de dez anos, a partir dos levantamentos da Molicar, é pela primeira vez que a Agência AutoInforme faz a premiação, com o objetivo de estimular montadoras e importadoras a valorizar seus próprios produtos e, por consequência, preservar os investimentos dos consumidores finais.

 

Além do modelo Campeão Geral, Maior Valor de Revenda vai premiar veículos das categorias Comercial, de Entrada, Hatch, Hatch Médio, Hatch Premium, Minivan, Monovolume, Perua, Picape Pequena, Picape Média, Sedã Pequeno, Sedã Médio, Sedã Grande, Utilitário Esportivo Pequeno e Utilitário Esportivo Grande. A pesquisa considerou os 100 modelos e versões zero km mais vendidos. Foram analisados modelos das marcas Audi, Chery, Citroën, General Motors,Fiat, Ford, Honda, Hyundai, JAC, Jeep, Kia Motors, Land Rover, Lifan, Mercedes-Benz, Mini, Mitsubishi, Nissan, Peugeot, Renault, Suzuki, Toyota e Volkswagen.

 

Joel Leite, da AutoInforme, considera que o carro é um dos raros bens de consumo que continua valorizado depois de sair da loja - Foto: Roberto Parizotti

Joel Leite, da AutoInforme, considera que o carro é um dos raros bens de consumo que continua valorizado depois de sair da loja – Foto: Roberto Parizotti

Segundo Joel Leite, idealizador do prêmio e diretor da Agência AutoInforme, “esse estudo vem sendo feito há mais de dez anos, em parceria com a Molicar, e este ano resolvemos transformá-lo num prêmio, um reconhecimento às marcas que tiveram os seus carros entre os de Maior Valor de Revenda em 2014”, para quem “em vez de questionar por que um carro perde valor, deveríamos perguntar por que um carro mantém um valor de mercado tão alto e por tanto tempo”.

 

Em sua avaliação, Joel Leite considera que o carro é um dos raros bens de consumo que continua valorizado depois de sair da loja. E a manutenção do seu valor depende de vários fatores, muitas vezes sem a menor lógica: um carro com um ano de uso pode perder de 7% a 25% do valor inicial e a diferença pode aumentar ainda mais com o avanço da idade. “A depreciação depende de vários fatores: do tamanho do carro, da marca, da rede de revendedores, do cuidado que a marca tem em relação ao pós-vendas, ao segmento, a origem, ao fato de ter grande volume de venda, à sua aceitação no mercado”, enfatiza Leite.

A Triumph Bonneville agora vem nas cores azul com preto e laranja com preto - Divulgação

A Triumph Bonneville agora vem nas cores azul com preto e laranja com preto – Divulgação

A linha 2015 da Triumph Bonneville T100 chega esta semana às concessionárias com duas novas opções de cores: preto com laranja (Intense Orange/Jet Black) e azul com preto (Caspian Blue/Jet Black). As duas cores anteriores – branco com dourado (Fusion White/Aurum Gold) e preto com cereja (Jet Black/Cranberry Red) também continuam disponíveis na linha 2015. Montada em Manaus, a motocicleta tem preço sugerido de R$ R$ 31.490,00. A Triumph Bonneville dominou as estradas durante a década de 1960. Nenhuma motocicleta atual reproduz tão fielmente o estilo e a experiência desses anos dourados como a Bonneville T100. Com suas tradicionais rodas raiadas e pintura clássica com faixa lateral em dois tons, a Bonneville T100 parece ter sido criada em 1969. Mas olhe mais de perto e você verá uma máquina moderna, transbordando com toques autênticos que somente a Triumph pode oferecer.

 

Externamente, seu motor de 865 cc, com cilindros paralelos, pode lembrar os clássicos motores pushrod de 650 cc, mas o propulsor com duplo comando de válvulas no cabeçote da Bonneville T100 é atualizado com uma moderna injeção de combustível. O objetivo é oferecer um funcionamento sem falhas, com elevados níveis de desempenho e confiabilidade no dia a dia. Nítidos toques retrô, como os carburadores que escondem os injetores de combustível, falsos tubos da haste de comando do balancim e o posicionamento da ignição fazem tributo à lenda da Bonneville. Apesar deste visual incrível, o que encanta mesmo os motociclistas mais experientes e exigentes é a pilotagem do modelo.

 

A Bonneville é um modelo retrô com tecnologia atual - Divulgação

A Bonneville é um modelo retrô com tecnologia atual – Divulgação

Para se sentir de volta ao passado basta girar a chave no lado esquerdo do farol, exatamente como as primeiras Bonnevilles, para curtir a inesquecível trilha sonora do seu conhecido motor britânico. Gire o acelerador e pronto: este propulsor com 68 cv de potência oferece o desempenho que se espera de uma verdadeira Triumph. Este desempenho vem aliado aos garfos dianteiros de 41 mm e aos amortecedores traseiros cromados, que oferecem dirigibilidade equilibrada e uma pilotagem confortável.

 

A Bonneville T100 vem com vários detalhes reais da década de 1960, tais como  silenciadores Peashooter e rodas de aço raiadas (com uma roda dianteira maior, de 19 polegadas), por exemplo, garantem à T100 mais presença e o tipo de fama que somente uma “Brit Twin” pode oferecer. Alguns detalhes especiais complementam o visual típico da década de 60 da T100, como coifas de borracha do garfo, joelheiras e velocímetro, contador de giros, relógio e indicador de informações de percurso de estilo clássico instalados no guidão.

 

Os pneus dianteiros originais da Triumph Bonneville T100 são os Metzeler Lasertec, que utilizam composto de nova geração e oferecem conforto e controle excepcionais tanto em piso molhado quanto seco. O desenho da banda de rodagem permite ótima drenagem de água, além de garantir desgaste regular e alto rendimento quilométrico. Já os pneus originais traseiros da Bonneville T100 são os Metzeler ME Z2, que enfrentam qualquer tipo de clima e longas distâncias. Os pneus foram desenvolvidos para proporcionar estabilidade e controle em alta velocidade, mesmo em frenagens de emergência e com a moto carregada. O composto com grande concentração de sílica resulta em excelente aderência tanto em piso seco quanto molhado.

Hamilton foi absoluto em Abu Dhabi, onde venceu a prova e se sagrou bicampeonato-mundial - Getty Images

Hamilton foi absoluto em Abu Dhabi e é dele o bicampeonato-mundial – Getty Images

Lewis Hamilton venceu domingo (23) o Grande Prêmio de Abu Dhabi de F1, no circuito de Yas Marina, e conquistou seu bicampeão mundial de Fórmula 1. O inglês fez uma corrida cerebral de olho no título e se valeu, também, de problemas eletrônicos na Mercedes de Nico Rosberg, que, desde a largada enfrentou dificuldades com o equipamento. Na parte final da corrida, com Hamilton e Massa voaram na pista, enquanto o finlandês jogava a toalha e terminou em 13º se arrastando no asfalto.

 

Com a vitória nos Emirados Árabes, Hamilton chega à sua 33ª vitória, a 11ª em 2014, em 138 GPs disputados desde sua estreia ainda pela McLaren em 2007, quando foi vice-campeão mundial em Interlagos. Em 2008, o inglês foi campeão do mundo, no autódromo paulistano, ao bater Felipe Massa pela diferença mínima de um ponto. Hamilton fez uma segunda parte da temporada de forma maiúscula ao se impor ante seu único rival e companheiro de equipe. Há, portanto, muito que se comemorar por ser o primeiro piloto a vencer com Mercedes depois do mitológico argentino Juan Manuel Fangio. Fora isso, Hamilton é, também, o único piloto britânico a conquistar dois títulos na Fórmula 1.

 

Felipe Massa pilotou muito. Segundo luga -teve sabor de vitória - Digital Image

Massa pilotou muito. Segundo lugar com sabor de vitória – Digital Image

Homem da corrida, mas não o fiel da balança, Massa fez uma corrida espetacular como há tempos seus fãs esperavam dele. O brasileiro foi durante boa parte da etapa líder em Yas Marina. Ele só perdeu a liderança ao fazer sua última troca de pneus, porém, depois disso fez as últimas voltas em ritmo alucinante e arrancou no braço cerca de 1s por volta para tentar dar o bote sobre Hamilton na última volta. Poderia ter vencido. Não aconteceu. Terminou em segundo seguido de seu companheiro de equipe, o finlandês Valtteri Bottas, em quem a Ferrari está de olho para 2016.

 

Entretanto, Massa, desacreditado quando deixou a Ferrari, renasceu na então na Williams, time que ninguém em sã consciência botaria fichas este ano após um campeonato de 2013 no qual só não foi pior que as equipes nanicas, que não se sabe se alinharam carros no grid em 2015, mais especificamente, Marussia, que já abaixou as portas, e Caterham, que só conseguiu alinhar os carros de Kamui Kobayashi e o estreante Will Stevens graças a um nada bem visto cowfunding, a famosa vaquina, em português.

 

Massa fez mais uma largada perfeita e assumiu o terceiro posto logo na primeira curva - Sutton Images

Massa fez mais uma largada perfeita e assumiu o terceiro posto logo na primeira curva – Sutton Images

A principal categoria do automobilismo mundial, que atravessa uma fase de imagem rabiscada com a introdução dos motores 1.6 V6 turbo – quase sem ruídos dos propulsores – e medidas paliativas, como o DRM, para ajudar o piloto nas ultrapassagens, fechou a temporada um pouco mais apimentada. Pouco. Os pilotos da Mercedes só não ganharam todas as provas porque encontrou no caminho o rápido e consistente australiano Daniel Ricciardo um obstáculo em três etapas e em 2015, quando ocupará o posto de primeiro piloto na Red Bull, poderá aspirar ao seu primeiro título. Alguém duvida?

 

Água na cerveja – Hamilton assumiu a liderança da prova na primeira curva e contando com a sorte de Rosberg ter problemas no carro. Impetuoso como um kartista, o inglês teve sua vitória ameaçada pela Williams de Felipe Massa na parte final da corrida. E que final! O brasileiro desceu a bota com pneus macios e perseguiu o inglês, então líder, com tempos de classificação. Massa terminou em segundo a 2,5s do vencedor, seguido de Valtteri Bottas, completando o pódio. Para equipe inglesa foi, portanto, o resultado de uma repaginação geral na equipe.

 

Confira abaixo o resultado final da etapa de Abu Dhabi:

 

Crédito: f1.com

Crédito: f1.com

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Abaixo, como terminou o Campeonato Mundial de Pilotos:

1) L. Hamilton – 334 pts

2) N. Rosberg – 317

3) D. Ricciardo – 214

4) S. Vettel – 159

5) F. Alonso – 157

6) V. Bottas – 156

7) J. Button – 106

8) F. Massa – 98

9) N. Hulkenberg – 80

10) K. Magnussen – 55

Fonte: f1.com