Skip to content

RICARDO RIBAS

Jornalismo feito por jornalista

Archive

Archive for 2013
A expedição conta com 45 carros - Greenpixel

A expedição conta com 45 carros – Greenpixel

Cruzando serras, montanhas, estradas e até rios, a Expedição Mitsubishi ultrapassa a metade da jornada de 3.000 quilômetros de São Paulo a Buenos Aires, com incríveis paisagens e uma natureza exuberante. A primeira edição da Expedição Mitsubishi, que saiu da capital paulista no último dia 23, está percorrendo todo o sul do país em direção à Argentina, desbravando as belezas e peculiaridades dessa fantástica região. A viagem já passou por Curitiba (PR), Florianópolis (SC), Bom Jardim da Serra (SC), Cambará do Sul (RS) e Bento Gonçalves (RS).

 

Os grandes destaques da viagem até aqui foram as passagens pela Serra da Graciosa e Serra do Rio do Rastro, com suas curvas intermináveis e a beleza da geografia das montanhas recortadas por cachoeiras. Nos cânions de Cambará do Sul, uma vista incrível bem perto da beirada e com a sensação de estar bem próximo das nuvens. Mas um dos pontos altos foi a travessia pela laje de pedra no Rio Tainhas, dentro do Parque Estadual Passo da Ilha, onde os participantes refrescaram os pés no curso do rio e ainda “escreveram” a palavra Mit para uma bela foto com os 45 carros.

 

Pausa para aliviar a tensão - Greenpixel

Pausa para aliviar a tensão – Greenpixel

Durante o percurso, um trecho off-road que animou todas as pessoas, que puderam testar todas os atributos fora de estrada das L200 Triton e dos Pajero Dakar, passando por pedras, lama e muita poeira, atravessando o parque eólico de Bom Jardim da Serra. Os 45 carros da Expedição Mitsubishi saíram hoje de manhã de Bento Gonçalves (MS) e seguem rumo à Santa Maria (RS). A viagem passará ainda por Uruguaina (RS) antes de cruzar a fronteira da Argentina, seguindo até Colón e chegando à Buenos Aires no domingo, dia 22.

 

Ricardo Maurício chegou em 2º -  Reprodução

Ricardo Maurício chegou em 2º em Interlagos- Reprodução

Ricardo Maurício conquistou o segundo título da carreira na Stock Car em uma corrida sensacional em Interlagos, disputada domingo (15). O piloto de baixa estatura se agigantou e, cinco anos depois de ser campeão pela primeira vez, no mesmo Autódromo José Carlos Pace, deixou Thiago Camilo na poeira, e em um final de prova espetacular para ficar com o título. O vencedor foi Ricardo Zonta, que levou o prêmio de R$ 1 milhão, .

 

Maurício venceu o campeonato na excelente estratégia de corrida já que largara em sexto, atrás de Camilo e Daniel Serra, outros postulantes ao campeonato. A sorte, portanto, deveria soprar a favor do piloto da equipe Eurofarma e foi exatamente isso que aconteceu. Maurício aguardou a hora certa para atacar, deixou seus oponentes misturarem tintas lá na frente, e após a para troca de pneus e reabastecimento partir para cima.

 

Thiago Camilo passou a maior parte da prova à frente de Maurício. Em terceiro na fase final da disputa, ultrapassou Allam Khodair e subiu para segundo. Chegou, também, a passar por Ricardo Zonta. Mas o carro o deixou não correspondeu e foi perdendo ritmo, recebeu até, finalmente, ser ultrapassado por de Zonta, o vencedor.

 

Assistindo a tudo de camarote, Maurício dividiu a curva do Bico de Pato com Camilo, deixou o carro espalhar na saída e deixou o rival na poeira e o carro aparar grama. Neste momento, entretanto, ainda não estava decidido o título. Dependia, sobretudo, de braço e boa sobra de sorte, que só os campeões têm. Camilo perdeu tanto ritmo de corrida, a ponto de perder a disputa com Zonta e terminar a corrida em sexto. Mas o melhor ainda estava por vir.

 

Na volta final, a disputa pelo milhão de reais estava entre Zonta, Maurício e Cacá Bueno ainda brigaram pelo milhão. Mas não houve alteração, só beliscadas daqui e de lá entre os pilotos. Zonta venceu pela segunda vez na Stock Car, mas, desta vez, pode levar o troféu para casa. Isto porque, em 2009, fora desclassificado porque completou a corrida sem capô. Cacá Bueno completou o top-3 em Interlagos.

Reprodução/Site

Reprodução/Site

Na próxima terça-feira (17), o Auto Show Collection promove um encontro de carros antigos beneficente no sambódromo do Anhembi a partir das 18h. O evento reunirá clubes e colecionadores de carros antigos da capital e do interior paulista, e celebra o encerramento da temporada 2013 do maior encontro de carros antigos do Brasil. A entrada no evento será trocada pela doação de um brinquedo, novo ou usado em bom estado, que será distribuído pela Associação Viva Sumaré Cultural, entidade beneficente que ajuda entidades na capital. O evento especial de Natal terá a presença de um Papai Noel que recolherá os brinquedos durante o evento e receberá as crianças na pista do sambódromo do Anhembi ao lado dos carros antigos que integram a exposição.

 

Além da exposição na pista e do tradicional desfile de veículos clássicos às 21h15, o Auto Show Collection contará com outras atrações como a área de compra e venda de veículos antigos com centenas de ofertas, exposição de veículos especiais customizados, mercado de pulgas com dezenas de opções para compra de peças e acessórios, área de modelismo com pista para veículos R/C, área para Jeeps e veículos 4×4, motocicletas e serviços como praça de alimentação, os estandes da Slice Pizzas, do chef Alex Caputo, seguranças e organizadores dos espaços, estacionamento para visitantes, rádio feira entre outros.

 

Para isenção do valor de entrada, o visitante deverá apresentar o brinquedo na entrada do evento, feita pelo portão 23 do sambódromo.

 

Serviço

Auto Show Collection especial da Natal

17 de dezembro de 2013

das 18h às 23h

Av. Olavo Fontoura – sambódromo do Anhembi, entrada pelo portão 23

Entrada: 1 brinquedo novo ou usado em bom estado ou

*Carro Visitante: R$ 29,00

*Carro Placa Preta: R$ 20,00

*Moto: R$ 15,00

Passageiro: R$ 5,00

*Ingresso do veículo da direito a entrada do motorista.

*Pedestre: R$ 15,00

*Crianças até 6 anos não pagam. Meia entrada para crianças de 7 a 12 anos, pessoas com necessidades especiais de locomoção e idosos

Fonte: Organização

Time de peso - Divulgação

Time de peso – Divulgação

A Equipe Mitsubishi Petrobras já está pronta para o Rally Dakar 2014, que será realizado entre 4 e 18 de janeiro. Esse ano, a marca terá presença em dobro: serão dois ASX Racing representando o Brasil no maior rali do mundo. As duplas serão compostas por Guilherme Spinelli/Youssef Haddad e Reinaldo Varela/Gustavo Gugelmin. ”Trabalhamos muito no ASX Racing durante todo o ano. A cada rali que participamos, conseguimos melhorar o carro. É lógico que continuaremos a encontrar pontos a evoluir, mas largaremos no Dakar desse ano com o ASX mais bem preparado do que nas competições anteriores. Com dois carros idênticos, ainda teremos a chance de trocar experiências entre as duplas e juntos encontrarmos novos acertos. Temos que caprichar ao máximo, manter total concentração e torcer para que a equipe consiga fazer um bom rali, estou muito animado para a próxima edição”, afirma Guiga Spinelli.

 

Seu navegador, Youssef Haddad, também encontra vantagens em ter mais uma dupla na equipe. “Poderemos trocar experiências com o Varela e o Gugelmin sobre o acerto dos carros entre cada etapa. Durante as especiais, não podemos nos comunicar com outras duplas, mas ao fim de cada dia, na reunião com a equipe, teremos a oportunidade de avaliar a percepção de cada um de nós.”, comenta Youssef.

 

Dupla Reinaldo Varela e Gustavo Gugelmin estreiam na equipe - Divulgação

Dupla Reinaldo Varela e Gustavo Gugelmin estreiam na equipe – Divulgação

Em seu primeiro ano na Equipe Mitsubishi Petrobras, Reinaldo Varela está otimista, e comenta que sua vasta experiência em ralis será importante durante o Dakar. “Cada rali que participamos serve como experiência para 2014. É como se estivéssemos nos preparando há 30 anos”, afirma Varela, que chega à sua sexta participação no Rally Dakar. Gustavo Gugelmin, que é o estreante da turma, espera encontrar muitos desafios durante trajeto, que passará por Argentina e Chile, e aposta na qualidade do ASX Racing para conseguir uma boa posição na classificação geral. “Fizemos um bom trabalho de preparação. O carro é confiável e bem acertado. Com certeza ele será um peso a nosso favor durante a competição”, adianta Gugelmin.

 

A equipe percorrerá um trajeto de mais de 9 mil quilômetros em duas semanas, passando por dunas, trechos de montanha, travessias de rio e estrada vicinais. Algumas especiais serão bastante longas, com mais de 600 quilômetros. “Esse será um desafio de resistência. Mas, muitas vezes, as etapas curtas são as mais traiçoeiras e mais técnicas”, alerta Guiga.

Gerardo San Román - Divulgação

Gerardo San Román – Divulgação

Gerardo San Román, 41 anos, acaba de ser nomeado o novo presidente da JATO Dynamics do Brasil, subsidiária da consultoria inglesa JATO Dynamics, líder mundial no fornecimento de informações automotivas. A estratégia vai de encontro às novas metas e desafios da empresa, como ser o fornecedor de referência do mercado brasileiro. Formado em Marketing pela Universidade Tecnológica do México (Unitec), San Román ingressou na JATO Dynamics México em 1996 como pesquisador de especificações e logo se tornou responsável pelo Guia de Comparação de Produtos. O presidente nomeado também passou pelas áreas de Atendimento e Apoio e Vendas da empresa em 2001, quando foi promovido a Country Manager da operação JATO Dynamics no México, cargo em que permaneceu por nove anos até agosto de 2010. A partir daquele ano, San Román consolidou a JATO Dynamics como fornecedor de referência e líder daquele mercado. Desde então atuava como Gerente Regional de Vendas da América Latina, responsável pela parte comercial do México, Porto Rico, Argentina, Chile, e com foco muito especifico no Brasil.

 

O novo presidente chega ao país com a missão de promover o crescimento da subsidiária brasileira, com o apoio de expressivos investimentos no mercado interno, entregando produtos inovadores que agreguem valor e agilizem tomadas de decisões dos atuais e futuros clientes à base de produtos e serviços compatíveis à nova realidade do setor automotivo. Com a chegada de San Román, o objetivo da JATO Dynamics do Brasil é buscar desenvolvimento sustentável, pautado em novos produtos, serviços, soluções e parcerias estratégicas que possam contribuir com o crescimento do mercado automotivo brasileiro. Para 2017, a empresa tem como objetivo ser uma das cinco operações-chave entre os 40 escritórios da JATO espalhados pelo mundo.

 

A JATO Dynamics foi fundada em 1984 e oferece informações globais atualizadas, precisas e oportunas sobre especificações de veículos e de preços, vendas e cadastros, notícias e incentivos. A empresa tem representação em mais de 40 países, fornecendo expertise única em cada um dos mercados locais. A base de clientes da JATO inclui todas as fabricantes mundiais de veículos, proporcionando a capacidade de reagir aos movimentos do mercado em curto prazo, o plano de desenvolvimento de longo prazo e, finalmente, para atender às necessidades dos consumidores.

Triumph Tiger 800XC, a Estradeira do Ano - Divulgação

Triumph Tiger 800XC, eleita a Melhor Moto do Ano e a Melhor Estradeira  - Divulgação

A Triumph foi uma das grandes vencedoras da 15ª edição do “Prêmio Imprensa Automotiva”, organizado pela Abiauto (Associação Brasileira da Imprensa Automotiva). O resultado, apurado e auditado pela HLB Audi Link Auditorias, foi anunciado em solenidade na noite do dia 11, em São Paulo (SP). Os representantes da imprensa especializada elegeram a Triumph Tiger 800XC como “Melhor Moto 2013 Imprensa Automotiva”. O júri de 14 jornalistas apontou, também, a Triumph Tiger 800XC como a “Melhor Estradeira”, e a Triumph Daytona 675R como “Melhor Esportiva”. Com isso, a marca inglesa ganhou três dos quatro prêmios para motocicletas em disputa.

 

“Foi uma surpresa ganharmos em três categorias. É o reconhecimento do segmento entre tantos produtos bons no mercado. É um orgulho ter conquistado em tão pouco tempo no Brasil estes prêmios concedidos pela Abiauto”, afirmou Fernando Filie, gerente de Marketing da Triumph.

 

A Tiger 800XC é a primeira moto da marca verdadeiramente projetada para ir a qualquer lugar. A Tiger 800XC é robusta e capaz de corresponder às necessidades da pilotagem off-road, graças ao seu resistente chassi de aço e ao eficiente motor de três cilindros com 799 cc. O Garfo telescópico invertido com 45 mm de diâmetro na dianteira e suspensão traseira com longo curso combinados com a roda raiada dianteira de 21 polegadas proporcionam uma grande altura livre do solo e a habilidade necessária para lidar com as trilhas mais difíceis. Com seu para-lama elevado e os protetores de mão rígidos, a Tiger 800XC foi desenvolvida para enfrentar qualquer situação com segurança e desenvoltura. O modelo é montado em Manaus.

 

Triumph Daytona 675R ficou com o título de Melhor Superesportiva - Divulgação

Triumph Daytona 675R ficou com o título de Melhor Esportiva – Divulgação

A superesportiva Daytona 675R foi totalmente remodelada e, desde abril de 2013, está sendo montada em Manaus. A Daytona 675R mantém seu propulsor de três cilindros, mas teve sua potência ampliada em 3 cv, atingindo 128 cv. Um novo chassi melhorou a distribuição de peso da motocicleta. Seu visual ganhou linhas mais retas na carenagem, um novo posicionamento do escapamento e o conjunto ótico foi renovado. Vários outros componentes também são novos, como as suspensões. Como resultado, a moto ficou mais rápida, segura e fácil de ser pilotada. Referência absoluta no segmento, a Daytona 675R definiu novos padrões para as superesportivas, passando rapidamente a ser reconhecida como a moto mais rápida na pista e a melhor para andar na estrada.

 

Atuando no mercado brasileiro desde novembro de 2012, este foi o segundo prêmio disputado pela Triumph no País. Em outubro, a marca participou do “Moto do Ano”, da revista Duas Rodas, conquistando outros três troféus: “Moto do Ano” (Tiger Explorer), “Big Trail até 1.200 cc” (Tiger Explorer) e “Naked até 800 cc” (Street Triple 675).

Lucas di Grassi, o mentor do circuito carioca - Reprodução

Lucas di Grassi, o mentor do circuito carioca – Reprodução

O piloto e diretor de projetos especiais da F-E Lucas di Grassi revelou quinta-feira (12) o traçado que será utilizado na etapa brasileira da categoria, no Rio de Janeiro. Será na Marina da Glória, na capital carioca, e contará com 2.291 km de extensão. O projeto foi desenvolvido pelo próprio brasileiro. “Numa pista de rua, não se tem muito o que inventar, tem que respeitar os limites do lugar, até porque ali não pode derrubar árvores, nada disso”, disse Lucas ao GloboEsporte.com. Em seguida, relatou como desenvolveu o projeto e explicou seus detalhes.

 

“Fiz o desenho básico no Google Earth e, depois, encaminhamos a uma empresa especializada, que aprontou o que precisa ser feito em termos de áreas de escape, recapeamento, que é para receber o padrão FIA“, detalhou. “Este é um circuito que vai ficar semi pronto e que poderá ser usado também por outras categorias.” As retas não ultrapassarão 600 metros por questões econômicas. A explicação é técnica: retas mais longas exigiriam maior potência, mais investimento nos motores e, também, mais despesas com a montagem do circuito em questões relacionadas à segurança.

 

Circuito foi desenhado a partir do Google Earth - Reprodução

Circuito foi desenhado a partir do Google Earth – Reprodução

 

“Vários pilotos de alta capacidade já demonstraram interesse em disputar a F-E. Reservas da F1, titulares do Mundial de Endurance, gente que saiu de categorias como a GP2, a Indy… Podemos ter uma espécie de Corrida dos Campeões com vários pilotos talentosos de diversas categorias”, comentou Di Grassi. Dez equipes já confirmaram inscrições na nova categoria, entre elas, as ex-F1 Virgin e Super Aguri e, também, Dragon e Andretti, ambas em atividade na Indy. A etapa do Rio de Janeiro está prevista para 15 de novembro do próximo ano.

Antonio Megale, presidente da AEA -  Reprodução

Antonio Megale, presidente da AEA – Reprodução

Seminários de Emissões, de Eletroeletrônica e de Segurança Veicular, simpósios internacionais de Engenharia Automotiva (SIMEA), de Combustíveis, de Lubrificantes, Aditivos e Fluidos, além de 18 cursos presenciais e dois online e de duas premiações (Prêmio AEA de Meio Ambiente e Prêmio AEA Destaque Novos Engenheiros) e os trabalhos das Comissões Técnicas, envolvendo mais de 700 engenheiros e técnicos automotivos. Este foi o resultado das atividades da AEA – Associação Brasileira de Engenharia Automotiva ao longo de 2013. Mas este ano com um ingrediente especial: os desafios do Inovar-Auto.

 

“A engenharia automotiva brasileira vem ganhando importância desde o Proálcool, nos anos 1980, e depois com a tecnologia flexfuel, no início dos anos 2000. Mas, com o Novo Regime Automotivo, o Inovar-Auto, o papel da engenharia automotiva brasileira ganhou importância sem precedentes na história da indústria automobilística nacional”, avalia Antonio Megale, presidente da AEA, para quem o programa governamental de incentivo ao setor, ao menos até 2018, vai posicionar o Brasil entre os maiores polos produtivo do mundo.

 

Com a instituição do Inovar-Auto, em outubro de 2012, a diretoria executiva e as comissões técnicas da AEA passaram a pautar e dar prioridade a todos os temas relacionados ao programa, em especial quanto à segurança/qualidade veicular e às emissões veiculares. Em paralelo, a Associação Brasileira de Engenharia Automotiva reforçou os debates em torno dos temas de reciclagem veicular e renovação de frota.

 

A AEA, em 2013, também estudou o procedimento de testes de emissão para veículos híbridos “sem plug-in” (com recarga de bateria e sem tomada de energia) e veículos “plug-in” (com recarga de bateria e recarga adicional via tomada de energia). O procedimento já foi concluído e entregue ao Ibama e ao Inmetro para ser seguido nos testes e regulamentações. Assim como foram iniciados estudos para veículos híbridos pesados e veículos puramente elétricos.

 

A pedido do Ibama, a entidade definiu ainda o procedimento de testes de ruído a ser aplicado na Inspeção Veicular da cidade da São Paulo e estudou a limitação da emissão de ozônio na atmosfera na operação de veículos flex no sistema de partida a frio.

 

Finalização do trabalho OBR2+ para veículos leves, elaboração de proposta de norma para descarte correto do airbag a ser enviada ao Denatran, finalização e envio da cartilha de iluminação ao Denatran, cartilha de fluido de freios e a condução de estudos no tema renovação de frota de veículos pesados compõem a grade de estudos desenvolvidos pela AEA em 2013.

 

De todas as atividades correlacionadas ao Inovar-Auto, no entanto, a mais importante foi a criação do Grupo de Trabalho Especial de Inovação, de iniciativa da AEA em parceria com a ANPEI – Associação Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento e das Empresas Inovadoras e a Inventta BGI – Consultoria em Inovação Tecnológica, que se propôs a discutir os impactos do novo regime automotivo, em especial quanto às atividades de pesquisa, desenvolvimento e inovação tecnológica.

 

Na sequência, o Grupo de Trabalho Especial de Inovação ganhou o apoio da Anfavea (Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores), do MCTI (Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação), do MDIC (Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior), Sindipeças e USP.

 

Segundo Megale, “a AEA pretende consolidar as questões debatidas pelo grupo e compartilhar conhecimento por meio de manual técnico, instrumento imprescindível para dirimir questões relacionadas ao novo regime e, com isso, auxiliar as empresas no atendimento às exigências do Inovar-Auto, até outubro de 2017, prazo de submissão das metas de redução de emissões e de consumo por parte montadoras e importadoras que se habilitaram ao programa”.

 

No balanço 2013 da AEA, destaque também para a atuação Grupo de Trabalho Auto Oil, que conduziu 540 testes com 11 combustíveis e veículos de passageiros (em todas as fases do Proconve), motos (todas as fases do Promot). Além disso, motores para caminhões estão em fase de preparação. Em 2014, mais 860 testes de automóveis, motos e motor Diesel estão programados até dezembro, quando o Programa Auto Oil deverá estar finalizado.

 

Teve papel de destaque ainda a Diretoria de Acreditação de Laboratório de Emissões, de veículos leves e emissões de motos, que certamente terá forte demanda por parte de todos os players da cadeia automotiva brasileira.

 

Megale comenta sobre a importância da pesquisa na indústria automobilística - Divulgação

Megale comenta sobre a importância da pesquisa na indústria automobilística – Divulgação

SIMEA 2013 – Outro importante evento da AEA em 2013 foi o Simpósio Internacional de Engenharia Automotiva, que trouxe o tema “Inovação e Competitividade no Novo Regime Automotivo” e que reuniu pesquisadores, representantes do Governo e presidentes de entidades, como João Alziro Herz da Jornada, presidente do Inmetro, Paulo Butori (Sindipeças), Luiz Moan (Anfavea), Mauro Borges (ABDI), Glauco Arbix (FINEP), Heloisa Menezes (MDIC) e Nelson Akio Fujimoto (também do MDIC).

 

Como afirmou a secretária de Desenvolvimento da Produção, do MDIC, Heloisa Menezes, “temas relativos ao Inovar-Auto, um programa de tal magnitude, não se esgotam em um ano”, a diretoria executiva da AEA já decidiu dar continuidade aos debates também no SIMEA 2014, sob o tema “Inovar-Auto e a Evolução Tecnológica no Brasil”.

 

A edição do SIMEA deste ano trouxe ainda mais uma novidade. Em parceria com a Automaker Media, o simpósio apresentou a série de trabalhos técnicos do Virtual Powertrain Conference e a mostra tecnológica do TestingShow.

 

Com esse espírito de atender às demandas do Inovar-Auto, a Associação Brasileira de Engenharia Automotiva – em 2014, ano em que comemora seus 30 anos de atuação no setor automotivo – vai reforçar ainda mais o seu portfólio de produtos e serviços em favor da modernização da indústria brasileira.