Skip to content

RICARDO RIBAS

Jornalismo feito por jornalista

Archive

Archive for abril, 2011

Está chegando a hora. A Fórmula Indy desembarca esta semana em São Paulo (SP) para a disputa da Itaipava São Paulo Indy 300 Nestlé. As feras da categoria vão rasgar as ruas da maior cidade da América Latina a mais de 300km/h e todos têm a mesma meta levar o Troféu Bandeirantes para casa, assim como Will Power fez em 2010. Mesmo antes dos pilotos ouvirem o locutor oficial dizer: “ladies and gentlemen, start your engines” (senhoras e senhores, liguem os seus motores, em português), alguns pilotos estão aproveitaram a estada para prestigiarem alguns eventos.

O líder da temporada no momento é o escocês Dario Franchitti. O piloto da Chip Ganassi tem 122 pontos depois de três provas disputadas. O atual campeão da categoria venceu a etapa de abertura do campeonato, disputada nas ruas de St Petesburg, dia 27 de março, e terminou em terceiro lugar nas provas seguintes, no Barber Motorsport Park e em Long Beach.

O vencedor da São Paulo Indy 300 no ano passado fez as três pole positions em 2011 e ocupa a segunda colocação na tabela. Will Power começou a temporada com uma segunda posição na etapa disputada na Flórida, venceu a etapa seguinte, no Alabama, de ponta a ponta, e em Long Beach, após se envolver em um acidente com Hélio Castroneves, ainda completou a prova em décimo lugar, somando 115 pontos no campeonato.

Tony Kanaan é o melhor brasileiro classificado até o momento, em terceiro lugar, com 87 pontos. O baiano estreou pela KV Racing Technology com um terceiro lugar em St. Petesburg, superando as expectativas da equipe e do próprio piloto. Em Barber, Tony completou as 90 voltas em sexto, enquanto na prova californiana o campeão da categoria em 2004 foi o oitavo. “Nariz”, como Kanaan é conhecido, esteve no Kartódromo Granja Viana, dando algumas voltas como seu filho no colo e depois acompanhou a prova exclusiva para jornalistas.

Entre os outros pilotos brasileiros, Vitor Meira aparece em décimo (64 pontos), Raphael Matos é o 12º colocado (57), Hélio Castroneves está em 14º lugar (56) e Bia Figueiredo, que não participou da etapa de Barber em virtude de uma lesão na mão direita, está na 26ª posição (28).

Samba e futebol – Em 2010, eles desfilaram pela passarela do samba no Anhembi, mas a 300 km/h. Na quarta-feira (27), no entanto, os pilotos Helio Castroneves, Rafael Matos, o espanhol Oriol Servia, a suíça Simona de Silvestro e o japonês Takuma Sato sambaram ao som do enredo vice-campeão do Grupo de Acesso do Carnaval Paulista de 2011 com a Camisa Verde e Branco. Este ano, o enredo da escola foi sobre a Avenida Paulista. Na quadra, os pilotos conheceram a escola e viram um verdadeiro show da bateria da Camisa Verde e Branco, além de ensaiarem alguns passos ao som da batucada.

A piloto brasileira Bia Figueiredo, que faz sua segunda temporada na Fórmula Indy e disputa neste domingo (1º/05) a Itaipava São Paulo Indy 300 Nestlé, visitou o Museu do Futebol, localizado no estádio Paulo Machado de Carvalho, no Pacaembu, na manhã de terça-feira (26). Fanática por futebol, Bia revelou que o esporte bretão é uma paixão mais antiga do que o automobilismo. “Comecei a jogar futebol no colégio Rio Branco com as meninas mais velhas. Por isso que aprendi a jogar bem. Eu sou corintiana roxa, e o programa de família é assistir aos jogos para relaxar”, disse.

Ana Beatriz, como é conhecida nos EUA, assistiu ao gol histórico do jogador Basílio pelo Corinthians contra a Ponte Preta durante a final do Campeonato Paulista de 1977, na voz do narrador Fiori Gigliotti. “Eu gostei muito de ouvir principalmente as narrações de gols históricos”, disse.

Bia mostrou seu carinho por Ayrton Senna estar presente no Museu do Futebol no painel da Copa do Mundo de 1994. “Tenho o Senna como inspiração, ele foi meu grande ídolo, e é muito legal vê-lo lembrado também aqui, um lugar dedicado ao futebol, mas que não se esquece de seus ícones”, afirmou.

Em 2011, Bia fechou contrato para disputar toda a temporada da Indy pela Ipiranga Dreyer & Reinbold Racing. No GP de Saint Petesburg, abertura do campeonato, ela terminou a prova mesmo tendo sofrido uma fratura em um osso do punho direito na quarta das 100 voltas de corrida. Submetida a uma cirurgia, a piloto teve de ficar de fora da segunda etapa, no Barber Motorsport Park (Alabama), e usando uma proteção no pulso, disputou e completou o GP de Long Beach, há uma semana. “Estou treinando, mas tomando cuidado com a mão e fazendo fisioterapia para me recuperar para a prova. Acho que para o domingo vou estar com mais ou menos 85% da força da minha mão”, concluiu.

O Circuito Anhembi, concebido pelo neozelandês Tony Cotman, recebe a prova pela segunda vez após o sucesso de público em 2010. O traçado urbano passa por dentro do Sambódromo, pela Avenida Olavo Fontoura, por dentro da área de estacionamento do pavilhão de exposições e por um trecho de 1.500 metros em plena Marginal Tietê.

O ronco dos Honda V8 de 650hp movidos pelo etanol brasileiro será ouvido a partir das 8h30 de sábado, com o primeiro treino livre. Nesta sessão, irão à pista apenas os pilotos estreantes e quem está fora dos dez primeiros na classificação do campeonato, totalizando 16 competidores.. O treino terá 1h15 de atividade, o que permitirá aos pilotos estreantes o trabalho de familiarização com os 4.080 metros do Circuito Anhembi.

No segundo treino livre, marcado para o meio-dia e com uma hora de duração, todos os carros irão à pista acertar seus carros para a sessão classificatória, que acontece das 15 horas às 16h15. E não é só isso: os carros do Itaipava GT Brasil farão as preliminares, correndo pela primeira vez em um circuito de rua. Os dois treinos livres da categoria estão programados para as 7h15 e 10h05 de sábado, com a classificação ocorrendo a partir das 13h15 e a primeira das duas corridas com largada às 16h30 de sábado (30).

No domingo (1º) os carros da Fórmula Indy realizam o warm-up (treino de aquecimento) às 8h30, logo após o segundo treino classificatório do Itaipava GT Brasil. A categoria nacional faz sua segunda prova às 10h45 e o grande evento, com a largada para a Itaipava São Paulo Indy 300 Nestlé às 13 horas, com 75 voltas ou duas horas de duração.

Serviço

Confira abaixo a programação oficial:

SÁBADO (30 de abril)
07h15 às 08h15 – Treino livre GT Brasil
08h30 às 09h45 – Treino livre São Paulo Indy 300
10h05 às 10h35 – Treino livre GT Brasil
12h00 às 13h00 – Treino livre São Paulo Indy 300
13h15 às 13h45 – Classificação corrida 1 GT Brasil
15h00 às 16h15 – Classificação São Paulo Indy 300
16h30 às 17h40 – Corrida 1 GT Brasil

DOMINGO (1º de maio)
07h45 às 08h15 – Classificação corrida 2 GT Brasil
08h30 às 09h00 – Warm up São Paulo Indy 300
10h45 às 11h55 – Corrida 2 GT Brasil
13h00 às 15h35 – Corrida São Paulo Indy 300

Eles não são apenas iates de luxo, são mansões flutuantes, a extensão de um modo de vida da terra para o mar. Mas não é para qualquer um. São caprichos caros. Iates de luxo são verdadeiras casas em alto mar. Alguns medindo mais de 80 pés (24 metros), são considerados megaiates e chegam a ter cinco suítes e são decorados com muito requinte para oferecer todo o conforto a seus ocupantes. Fazer de um desejo realidade com direito a test-drive. Assim começa hoje o Rio Boat Show 2011 na Marina da Glória, no Rio de Janeiro.

Azimut 43

O visitante encontrará na mostra barcos que podem ser equipados com televisores de plasma ou LCD ehome theaters, entre outros mimos, tudo de acordo com o desejo do comprador. Em todo o mundo, são fabricados cerca de mil iates de luxo por ano, com preços que chegam a ultrapassar facilmente R$ 10 milhões e levam de oito a dez meses para serem finalizados. O montante de uma embarcação de luxo pode ultrapassar o valor investido na construção de uma casa, digamos, muito confortável. Mas a casa é estanque, o barco não.

No restrito mercado de vendas de iates de luxo, o Brasil representa aproximadamente 1,5% do consumo mundial. A Itália é maior produtora de iates de luxo do mundo, com 260 unidades, em segundo lugar está os Estados Unidos, com 85. Holanda, Reino Unido e Alemanha ocupam terceiro, quarto e quinto lugares, respectivamente. Para se considerar um iate como sendo de luxo, normalmente, existe uma referencia de preço.

Entre as novidades do Rio Boat Show, estão o Azimut 43 e o Azimut 58 do estaleiro italiano Azimut-Benetti, produzidos na recém-inaugurada fábrica de Itajaí (SC). Os barcos vêm até com churrasqueira original de fábrica. Normalmente, elas são vendidas como acessórios independentes.

Azimut 58

Segundo a Yacht Brasil, responsável por 40% das vendas no mercado nacional, e que representa a Azimut-Benetti e o estaleiro Sea Ray, do grupo Brunswick, os novos modelos apresentados na Rio Boat-Show reúnem “luxo, sofisticação e alta performance”. “Estamos com 18 embarcações, expostas em 700 mil m². É o nosso maior investimento”, disse o CEO da Yacht Brasil, Giovanni Luigi, sem revelar valores.

Entre as atrações do Rio Boat, uma dela é o Azimut 43 que traz churrasqueira, proa com formato em trapézio para facilitar operações de ancoragem e tem espaço para banhos de sol. No interior, amplas janelas proporcionam luminosidade intensa nas duas suítes -com destaque para a suíte de proa, que tem vista privilegiada para o mar.

A embarcação também possui “bow thruster” opcional para atracação, um equipamento que permite ao barco se mover lateralmente, facilitando as manobras. No interior, graças às amplas janelas, a luminosidade é intensa. As duas suítes são espaçosas, com destaque para a suíte de proa, com vista privilegiada para o mar. O modelo conta também com plataforma submergível, portas de embarque no costado (bombordo e boreste) e janelas laterais verticais.

Intermarine 75

Já no Azimut 58, o destaque é o design interno desenvolvido por Carlo Galeazzi com móveis em linhas retas, além de contar com a tecnologia i-Boat, que permite conectar leitor de MP3 a um potente sistema de áudio a bordo. A plataforma de popa é submergível. Dos três camarotes, o de meia-nau (que fica no meio da embarcação) ocupa toda a largura do barco.

Os modelos da linha Sundancer, da Sea Ray, são barcos com o conceito “Day Cruiser”, que alia linhas elegantes com distribuição de espaço e permite uma espécie de “cruzeiro familiar” por alguns dias, com conforto e segurança. Os iates Intermarine 75 e o Benetèau Trawler 52, da Schaefer Yachts, e o Pioner 15, barco em fibra de 15 pés da Smart Pier, são outros destaques.

Em primeiríssima mão, a Real 350, nova lancha cabinada de comando aberto do estaleiro fluminense Real Power Boats, terá seu lançamento na mostra carioca. A embarcação promete bom desempenho, característica comum dos barcos da Real Power Boats. E o preço não foi divulgado, mas parece ser bem convidativo. A Real Top 350 poderá ser equipada com dois motores a gasolina ou a diesel.

Princess 72 My Living

Luxo inglês – Espaço é o que não falta nesta elegante lancha do estaleiro inglês Princess Yachts. Possui três amplas suítes e um camarote com duas camas de solteiro, podendo acomodar até oito pessoas em pernoite. O salão é luxuoso, bem iluminado e tem cozinha completa.

Outros destaques da Princess 72 MY (MY de Motor Yacht) são o flybridge, que oferece lugar para guardar o bote, e o casco, com V acentuado, que corta bem as ondas. Outro mérito está na proa: um confortável sofá, para quem quiser navegar sentindo o vento no rosto. Dois motores centrais de 1500 hp cada motorizam a embarcação.
Famosa como construtora de veleiros, a francesa Bénéteau também produz lanchas. E muito bem. Prova disto é Monte Carlo 47 Fly, de linhas bem modernas e um arranjo interior bem prático, como é comum nos veleiros do estaleiro. A lancha é uma evolução da MonteCarlo 47, a primeira embarcação a motor do estaleiro no segmento das grandes SportCruisers. Vale conferir os dois espaços nobres desta lancha: o flybridge e o cockpit.

Monte Carlo 47 Fly

Na faixa – Em sua 14º edição, além dos lançamentos de embarcações, a Rio Boat Show tem outros atrativos. Um deles são as 100 vagas para o curso gratuito de Arrais Amador, que habilita o profissional a conduzir pequenas embarcações. Durante o salão, a Marinha do Brasil vai aplicar provas para quem quiser tirar ou renovar a carteira de habilitação marítima. Já o shopping náutico trará os últimos lançamentos em motores, eletrônicos e equipamentos, e estará numa área 30% maior que nos anos anteriores. Uma das apostas em tecnologia é um aplicativo para GPS ligado ao iphone e ipad para ser usado nos barcos.

A Acobar (Associação Brasileira dos Construtores de Barcos e seus Implementos) vai realizar o 1º curso de Capacitação Técnica em Construção Náutica para funcionários das empresas associadas.
Segundo Ernani Paciornik, organizador do evento, muitas empresas estrangeiras estão se instalando no Brasil. A expectativa é que o evento movimente cerca de R$ 170 milhões, ou 10% a mais que no ano passado, e receba 50 mil pessoas.

 

Azimut 43

A piloto Bia Figuredo, que fará sua segunda temporada da Fórmula Indy e disputa no próximo dia 1º de maio a Itaipava São Paulo Indy 300 Nestlé, visitou o Museu do Futebol, localizado no Estádio Municipal Paulo Machado de Carvalho. Fanática por futebol, a piloto da Dreyer & Reinbold fez a visita ao museu do esporte mais amado do Brasilacompanhada pelo presidente da SPTuris, Caio Luiz de Carvalho.

Corintiana, Ana Beatriz, como é conhecida nos Estados Unidos, teve no futebol um dos esportes mais praticados em sua infância. A piloto estreou na Fórmula Indy em 2010, justamente na corrida de São Paulo, onde foi a melhor colocada entre as quatro mulheres inscritas. Correu também as 500 Milhas de Indianápolis, na prova de Chicago e o GP de Homestead, no encerramento da temporada.

Em 2011, Bia fechou contrato para disputar toda a temporada pela Dreyer & Reinbold. No GP de Saint Petesburg, abertura do campeonato, ela terminou a prova mesmo tendo sofrido uma fratura em um osso do punho direito na quarta das 100 voltas de corrida. Submetida a uma cirurgia, a piloto teve de ficar de fora da segunda etapa, no Barber Motorsport Park (Alabama), e usando uma proteção no pulso, disputou e completou o GP de Long Beach, há uma semana.

Única brasileira em uma categoria top do automobilismo internacional e única brasileira a correr nas 500 Milhas de Indianápolis, Bia Figueiredo é a única mulher a vencer na Fórmula Renault, três vezes, em 2005; a primeira mulher a vencer na Indy Lights, duas vezes, em 2008 e 2009; e a única mulher a competir e vencer no Desafio das Estrelas, torneio de kart organizado por Felipe Massa, em 2010. Depois de disputar quatro corridas da Indy no ano passado, nesta temporada ela disputa o campeonato da categoria, na condição de estreante.

Serviço:

Os ingressos podem ser adquiridos no site oficial da Itaipava São Paulo Indy 300 Nestlé (www.saopauloindy300.com.br) ou pelo endereço eletrônico da Livepass (www.livepass.com.br), além da central telefônica acessada pelo número (11) 4003-1527 (custo de ligação local, mais impostos), de segunda-feira a sábado, das 9h às 21h. Oito bilheterias oficiais da prova estão disponíveis na capital paulista, localizadas no Portão 19 do Pavilhão Anhembi, na Honda André Ribeiro do Shopping Aricanduva, e nos shoppings Market Place (Piso Superior), Iguatemi e Frei Caneca (Piso Térreo), na Bilheteria 1 do Estádio do Morumbi, Central de Turismo Express (Av. São João, 677) e no Posto Gravatinha (em Santo André). O pagamento pode ser feito em dinheiro, cartões de crédito Visa, Mastercard e Diners, e cartões de débito Visaelectron, Maestro e Redeshop. No Rio de Janeiro o ponto de venda é o Posto Piraquê (Av. Borges de Medeiros, Lagoa), e em Brasília (DF), a Central de Ingressos funciona no Brasília Shopping (Setor Comercial Norte, Quadra 5). Nestes dois pontos, o pagamento deve ser feito apenas em dinheiro.

Estudantes de ensino fundamental, médio ou superior, e idosos acima de 65 anos têm direito a meia-entrada, ou seja, poderão assistir a corrida por R$ 90. As instalações também oferecem acessos para portadores de necessidades especiais.

Barba e cabelo. Foi o que a dupla Chico Longo e Daniel Serra, em uma Ferrari F430, fizeram nas 3 Horas de Guaporé, disputadas sábado (23), no Autódromo Nelson Luiz Barro no Rio Grande do Sul (RS). Nem mesmo a chuva estragou a festa de a abertura da Copa das Federações de Endurance e paralelamente do Campeonato Gaúcho de Endurance. O grid de largada, no entanto, fez dieta. Apenas 21 carros largaram. Um terço não alinhou não por falta de empenho de mecânicos e pilotos, mas por causa de diferenças nos valores de inscrição.

Cinco carros ficaram de fora porque a taxa de inscrição não contemplava valor igual para a Copa das Confederações, estipulada em R$ 2.200 para a categoria I e R$ 1.100 para as demais, e para o Gaúcho R$1.100 nas categorias I, II e II e R$ 650 na categoria IV. Com uma taxa mais em conta, o certame regional atraiu mais carros e quem quisesse se inscrever na Copa das Federações, teria que pagar duas taxas e não apenas uma. Por essa e outras que o automobilismo nacional está capengando.

Na corrida, Longo largou na pole-position no grid formado por 20 carros, embora apenas cinco participassem do campeonato brasileiro, os demais estavam inscritos apenas para o gaúcho da categoria. A pista úmida logo no início da prova impediu que a Ferrari abrisse vantagem, ao contrário, Longo cometeu um erro na sexta volta e acabou dando uma escapada e entregando a primeira posição para Lucas Molo, em outra Ferrari, que galopou na ponta sem adversários.

No 21º giro, foi a vez de o protótipo MCR-P2, de Luciano Mottim, tomar a ponta antes de ser mais uma vez ultrapassado por Molo. Quase na metade da corrida, a Ferrari F360 a caixa de câmbio abriu o bico e foi forçada a abandonar. Com isso, o protótipo MC Tubarão, comandado por Tiel de Andrade e Bruno Justo passou para a primeira posição.

Só que uma parada extra nos boxes de Andrade, para consertar um problema de vibração no carro, acabou entregando a liderança novamente para Daniel Serra, que era cerca de 2s5 mais rápido que os adversários, se recuperando, assim, do erro da equipe nas primeiras voltas. Antes do final da prova, Serra entregou o carro para Chico Longo, que seguiu tranquilo para conquistar o tricampeonato nas 3 Horas de Guaporé. A segunda colocação ficou com Tiel de Andrade/Bruno Justo, enquanto Beto Ribeiro e Nilson Cintra, em um protótipo MXR, completaram o pódio.

Robert Kubica deixou o hospital Santa Corona, na Itália, domingo (24), depois de passar dois meses e 18 dias internado por causa do grave acidente que sofreu no dia 6 de fevereiro durante o Rali Ronde di Andora, que por pouco não lhe custou à vida. Em nota, o hospital informou que o polonês vai dar início a uma nova fase do tratamento de recuperação, sem deixar claro quando o piloto estará pronto para voltar às pistas.

“Robert Kubica (foto) não está mais no Hospital Santa Corona em Pietra Ligure. Sua condição é boa, e o piloto pode começar uma nova fase de reabilitação fora do hospital. Ele vai continuar sendo monitorado pelos médicos do Santa Corona”, declarou o hospital. Kubica é sem dúvida um dos maiores talentos da atualidade e craque em sair vivo de acidentes espetaculares desde os tempos em que corria em divisões menores.

Durante o Rali Ronde di Andora, o piloto da Renault perdeu o controle do seu Skoda Fábia e bateu no muro de uma igreja, sofrendo múltiplas fraturas do lado direito do corpo. Kubica correu riscos de ter a mão direita amputada, passando por uma cirurgia de sete horas para recuperar os movimentos. Ao todo, o piloto sofreu quatro cirurgias nos membros superiores e inferiores do lado direito. Logo após receber alta médica, na terça-feira, Kubica afirmou que ia descansar antes de começar a reabilitação.

“Assim que eu sair do hospital, vou direto para a minha casa, em Mônaco, e ficar lá por um curto período de descanso. Depois, vou passar para as instalações do doutor. Riccardo Ceccarelli, na Itália, onde vou começar um profundo programa de reabilitação e um preliminar programa de treinamento. Os dois programas serão gradualmente atravessados com base na velocidade da minha recuperação”, afirmou o piloto.

A terceira edição do Super Kart Brasil, torneio, criado por sete multicampeões da modalidade, ocorrida no sábado (23), quem brilhou de fato foram os organizadores, que terminaram nas primeiras posições. No total, foram disputadas vinte corridas e oito treinos de classificação realizados em apenas dois dias, o Troféu Gustavo Sondermann, como foi batizada esta edição do SKB em homenagem ao piloto paulista que faleceu no último dia 3 de abril, durante uma etapa da Copa Montana em Interlagos, ficou com quatro novos campeões do torneio.

À exceção do piloto da AMF Super Cadete, João Pedro Guim, campeão invicto dos SKB 2 e 3, e de Renato Russo, vencedor das três edições na Shifter Sênior, os outros quatro vencedores desta edição ainda nãotinham levantado o título da competição, entre eles, dois dos organizadores do torneio, Sérgio Jimenez e Danilo Dirani, que foram campeões na Itaipava Graduados A e na Stock AIG Shifter Kart, respectivamente.

Jimenez e Dirani tiveram trajetórias diferentes no SKB-3, mas comemoraram com o mesmo entusiasmo os primeiros títulos de promotores do Super Kart Brasil no torneio criado por eles em conjunto com Russo, Paulo Carcasci, Dennis Dirani, Ruben Carrapatoso e André Nicastro. Dirani foi o grande nome da Stock AIG Shifter Kart depois de vencer três das quatro corridas do fim de semana. Na divisão Sênior da Shifter o título ficou com Renato Russo, que é o único tricampeão do torneio. Ele venceu as edições do Velopark e as duas de Interlagos, no sentido tradicional e no inverso de Interlagos.

Xô! azar! – Na categoria MG Tires Sênior o título ficou com o paulista Diogo Zucarelli, vencedor de duas em Interlagos. Antigo adversário de Ruben Carrapatoso e André Nicastro no final dos anos 1990, Zucarelli estava afastado das pistas havia 10 anos. Voltou com vitória na Copa São Paulo Light, realizada em Interlagos há uma semana, e venceu novamente neste sábado colocando em prática uma estratégia inusitada.

Depois de um começo difícil, marcado por quebras no treino classificatório e na primeira corrida, Zucarelli espalhou cabeças de alho em sua garagem e correu com alguns dentes de alho no bolso esquerdo do macacão. Deu certo. Na segunda bateria, ainda na sexta-feira, Diogo largou em último e chegou em quarto. E no sábado venceu duas vezes. Na segunda conquista o paulista ainda contou com a sorte que faltou no início e faturou a disputa depois do abandono do líder e virtual campeão, Fernando Gomes Croce.

Entre os mais jovens do torneio, o campeão da Super Cadete, João Pedro Guim, surpreendeu. Invicto nas duas edições do SKB das quais participou, ele acumula oito vitórias na competição e no sábado somou mais que o dobro de pontos do segundo colocado, Felipe Drugovich. Já o título na Júnior ficou com Bruno Bertoncello, de 12 anos de idade. Recém-promovido à Júnior Menor, ele competiu com pilotos mais velhos e ressaltou as dificuldades que enfrentou para faturar a terceira edição do SKB.

Ora, ora, ora… Bernie Ecclestone é, além de um tera gerador de notícias, um grande sarrista. Só pode. Bastou o boato de que o bilionário Rupert Murdoch pretende montar um consórcio para comprar os direitos comerciais da Fórmula 1 para que o inglês, presidente da FOM (Formula One Management) afirmar que caso isso aconteça ainda que poderá viver de pensão, não precisando pedir emprego. Justo ele, que revolucionou a categoria ao fazer da F1, mais que um esporte, uma fonte incomensurável de renda ao movimentar um sem-número de dinheiro a cada ano.

“Eu estou velho o suficiente para conseguir uma pensão, então não tenho que arranjar um emprego. Tenho de ter certeza de que essas pessoas que querem assumir a Fórmula 1 são pessoas com as quais eu gostaria de trabalhar e sei que elas querem trabalhar comigo”, declarou Ecclestone ao jornal ‘Sunday Times’. De fato, Bernie é um cara influente, tem voz de comando e é apesar de seus 81 anos de idade, alguém capaz de bater de frente e peitar quem se atreva a atravessar seu caminho.

Fonte ligada ao caso afirmou à Reuters que a News Corporation, que pertence a Murdoch, tem mantido conversas com outro bilionário, o mexicano Carlos Slim, com o qual pretende formar um consórcio pra adquirir o controle da F1. Ecclestone, no entanto, rebateu a informação, dizendo que era “tolice”. “O nosso esporte não está à venda”, disse.

O boato, porém, não leva em conta a FIA (Federação Internacional de Automobilismo), comandada por Jean Todt, que, no caso, pode melar toda e qualquer negociação, uma vez que está para o automobilismo como a CVM (Comissão de Valores Mobiliários) para as bolsas de valores. Todt é hoje o principal opositor de Ecclestone, o que leva a crer que tanto os propósitos de Murdoch quanto de Ecclestone poderão cair no vazio (dar em nada, no jargão do mercado financeiro) se não tiverem aprovação da FIA.

Quem não for viajar no feriadão e quiser acompanhar de perto um dos eventos mais importantes do kart nacional já pode destinar um espaço na agenda. Neste final semana, o kartódromo de Interlagos recebe a terceira edição do SKB (Super Kart Brasil), que, para esta etapa a organização decidiu batizar a prova de Troféu Gustavo Sondermann, uma homenagem ao piloto da Copa Montana que faleceu em um acidente em Interlagos no começo do mês. No SKB, vale destacar, só correm pilotos de alto nível, o que faz da prova algo imperdível. Segundo os organizadores, foram conquistados novos patrocinadores e anunciaram premiações em dinheiro, além de peças e equipamentos, para todas as cinco categorias do evento.

O vencedor da categoria, na qual correm os pilotos mais experientes do torneio, o prêmio é de algo próximo a R$ 5 mil, o mesmo do ganhador na classe Shifter. Na Super Cadete, o vitorioso pode levar um Kart Mini completo, enquanto na Júnior, o prêmio máximo é um cockpit de simulador com G27. Um baita prêmio, pois é neste tipo de simulador que pilotos aprendem os macetes das pistas, ponto correto de frenagem e aceleração, entre outros truques. Já na Sênior, o vencedor fatura jogos de pneus, eixos e um carburador.

“Todos nós promotores do Super Kart Brasil estamos orgulhosos destas parcerias e esperamos que elas se estendam para outras edições de nosso torneio”. Creio que estes novos contratos mostram que estamos no caminho certo, realizando um evento sério e de credibilidade “,, disse Danilo Dirani, um dos promotores.

Por coincidir com o domingo de Páscoa, os treinos oficiais começam já nesta quarta-feira (20) em Interlagos, a partir das 8h. A programação continua na quinta-feira. Na sexta-feira e no sábado, os pilotos enfrentam os treinos de classificação e as provas.