Skip to content

RICARDO RIBAS

Jornalismo feito por jornalista

Archive

Archive for março, 2011
Não foi só a Hispania o time que ficou a desejar neste início de temporada da Fórmula 1, a Marussia Virgin, apesar de ter conseguido ficar dentro do limite de 107% só largou e ficou se arrastando por Albert Park. Quem soltou a língua contra a própria equipe foi Timo Glock, que críticas à sua equipe, que sempre andou nas últimas posições desde os testes da pré-temporada na Espanha. O piloto falou que o time andou para trás em termos de rendimento e advertiu: “Nós não podemos continuar assim”. Apesar do vexame, Timo elogiou o reforço no quadro técnico da escuderia anglo-russa. “Nós avançamos em termos de estrutura geral da equipe. O trabalho dos mecânicos e dos engenheiros é muito melhor que o do ano passado”, frisou o alemão, deixando claro que o carro não acompanhou a evolução técnica da Virgin. “O desempenho, em minha opinião, nós andamos para trás”, bradou, fazendo uma comparação com os rivais. “Os outros deram passos enormes. Nós não Continue lendo [...]
Aconteceu o previsível. Após a estreia da Fórmula Vee, quem estava cheio de vontade de correr, mas estava com um pé atrás, desconfiado que a categoria vingasse – e vingou -, agora corre para alinhar um carro já na próxima corrida. A categoria encanta por várias razões, entre elas os baixos custos de aquisição do equipamento, montagem e manutenção, facilidades de logística e nível de competitividade na pista. A categoria, voltada essencialmente para “garagistas”, ou seja, para pilotos com alguma (ou nenhuma) familiaridade com mecânica e disposição para brincar de engenheiro, montando o próprio carro a partir de kits vendidos pelos organizadores. E quem não pode comprar um kit ou não tem paciência para montar o carro, como fica? Basta alugar um carro, vestir o macacão e acelerar para não pendurado na mureta dos boxes vendo os carros passarem é a resposta. A TJ Competições, com sede em Piracicaba, percebeu que existe um nicho de mercado, o de aluguel de carros Continue lendo [...]
A pilota brasileira Bia Figueiredo não quer nem pensar em ficar de fora da corrida no circuito de Barber, no Alabama, dia 10. Ela passou por uma cirurgia, em Indianápolis, para colocar um pino no punho direito para acelerar o processo de recuperação de uma fratura no local, em decorrência de uma batida sofrida na etapa da Indy em São Petersburgo. A cirurgia foi considerada um sucesso e a piloto está agora em repouso. Embora ainda esteja com a mão imobilizada, a brasileira tem como objetivo não perder a próxima corrida do campeonato. Foi justamente por essa razão que ela optou por se submeter à cirurgia, já que a previsão inicial seria de três meses de recuperação. A estimativa é que Bia leve de duas a três semanas para estar completamente recuperada, mas existe a possibilidade de ela participar da prova em Barber com uma proteção especial no punho, no local da fratura. No entanto, caso a pilota não tenha condições de correr, o retorno à Indy será apenas na etapa Continue lendo [...]
No dia 1º de maio, milhares de trabalhadores estarão comemorando seu dia, as conquistas de cada categoria profissional, shows ao ar livre, entre outros, acontecerá, coincidentemente ou não, a etapa da Fórmula Indy no ondulado circuito do Anhembi, em São Paulo. A edição deste ano terá dois troféus a serem dados para a equipe vencedora e ao piloto que fizer a volta mais rápida, respectivamente, além do oferecido ao primeiro colocado. Os prêmios são obras do artista plástico Paulo Soláriz, o mesmo que criou o troféu do vencedor. "A escultura que a equipe vencedora vai receber representará o ‘Go! Go! Go!’ (‘Vai! Vai! Vai!’, em português), termo comum entre as equipes para alertar o piloto a saber o momento certo de sair acelerando, principalmente ao fim das paradas de boxes e nas largadas e relargadas", explicou o artista. "Além disso, o autor da volta mais rápida da corrida será premiado com o Troféu Speedy. Há um padrão de unidade visual entre os troféus, Continue lendo [...]
Os dirigentes das equipes de Fórmula 1 fizeram um balanço do que aconteceu de certo e de errado no GP da Austrália, realizado no último domingo, a primeira etapa do certame em 2011. Com menos tempo de treinos, cada equipe teve seu problema individual, exceto a Red Bull, que deitou e rolou em cima da concorrência desde os testes da pré-temporada. Quem ficou para trás terá correr atrás de soluções técnicas para não serem coadjuvantes em Sepang, na Malásia, como foram em Albert Park. Ross Brawn culpou o fraco desempenho da Mercedes no GP da Austrália ao acerto do W02. A equipe das flechas de prata tinha como base as boas performances nos testes de Barcelona. Mas, como no futebol, treino é treino, jogo é jogo, o que se viu na pista foi um desempenho fraco dos pilotos da estrela solitária, mesmo levando-se em consideração que Nico Rosberg e Michael Schumacher tenham deixado a corrida em decorrência de acidentes. O time reconheceu que faltou de velocidade e desempenho na Continue lendo [...]
Não era o desenho “Corrida Maluca” (Wacky Races, em inglês, desenho animado produzido pela dupla Hanna-Barbera e lançado pela CBS) muito menos carrinho de bate bate, brinquedo comum nos parques de diversão, mas sim a primeira etapa da Fórmula Indy, disputada no último domingo em São Peterburgo. O número de acidentes entre os participantes foi acima da média, a começar pela capotagem de Marco Andretti, e o saldo nefasto poderia ser desastroso à categoria, que é a queridinha do público estadosunidense depois da Nascar. A pilota brasileira Bia Figueiredo fraturou o pulso direito no quarto giro após um toque com o carro de Graham Rahal na segunda relargada da prova, mas seguiu até o final apesar da mão doendo. Com a batida, a suspensão dianteira direita do carro da brasileira ficou bastante danificada. Mesmo assim, a ela completou a prova na 14ª colocação, um saldo mais que positivo. “Tivemos um incidente na quarta volta da corrida, que entortou a suspensão da frente Continue lendo [...]
Diante reclamação unânime dos pilotos, a FIA anunciou em Melbourne que ampliou a zona de ultrapassagem, espaço onde os corredores poderão fazer uso da nova asa traseira durante o fim de semana do GP da Austrália. Antes restrito à reta dos boxes, o espaço terá início no fim da última curva do circuito de Albert Park, a 16, e se encerrará no final da reta. Alivia, mas não resolve. Os pilotos terão exatos 867m para usarem o novo sistema, projetado justamente para diminuir o arrasto aerodinâmico e assim, facilitar as ultrapassagens. Assim que os pilotos cruzarem a faixa da curva 16, já poderão acionar o botão que levanta a aleta da asa traseira, reduzindo o downforce na reta dos boxes. Em tese, a medida parece correta, porém se não leva em consideração as diferenças entre os conjuntos. Ou seja, se o carro a ser ultrapassado é mais lento o uso da asa móvel é desnecessário. A ampliação da zona de ultrapassagem fez com que a FIA levasse para antes da curva 14 a zona Continue lendo [...]
O chefão Bernie Ecclestone deixou claro que há problemas na relação da Fórmula 1 com a FIA. O dirigente inglês atacou o presidente da entidade máxima, comparando-o de forma negativa com o antecessor, Max Mosley. "Jean Todt é uma versão pobre de Max Mosley Ele tem viajado muito nos últimos meses, beijados bebês e apertado mãos, o que provavelmente é bom para a FIA, mas não precisamos disso na F1", em entrevista ao 'Daily Express'. O enfrentamento começou esta semana, quando Todt manifestou apoio público à permanência do GP da Austrália em Melbourne. "Para mim, como presidente da FIA, há um contrato entre o promotor da F1 e o organizador do GP e, na minha opinião, a etapa em Melbourne é um grande evento, e você percebe isso pelo entusiasmo dos torcedores de todo mundo", falou o francês ao jornal 'The Age'. "Na verdade, devemos apreciar a magnitude desse evento para o calendário da F1 e da Austrália. A corrida não está deixando Melbourne, e não vou especular Continue lendo [...]

mpexo

  • This site is proudly listed as a mobile blog on mpexo.